sábado, 25 de junho de 2016

Aprendendo com o Aluno - Por Marcelino Rodriguez



Um aluno meu surpreendeu-me outro dia perguntando como testo as pessoas. Olhei para ele surpreso, como se tivesse vendo uma nova possibilidade de interagir com os outros daqui por diante, posto que nunca testei, propriamente, ninguém. Num primeiro momento, confio em todo mundo. Claro que a experiência e o conhecimento nos tornam mais céticos. 

Pessoas inteligentes e cultas sabem que os egos humanos em geral só pensam em seus próprios interesses mesquinhos e são poucos que se desenvolvem mentalmente e sentimentalmente o suficiente para enxergar os outros; por isso, os iniciados se preservam e são extremamente seletivos. 
Bruxos não se misturam com trouxas facilmente, já disse a autora de Harry Potter. 

Todavia, a experiência mostra que devemos confiar nas pessoas completamente apenas após a primeira noite, o primeiro negócio, a primeira briga. Os sedutores de todo tipo quando chegam em nossas vidas se mostram atenciosos, parceiros, encantadores, eróticos, generosos, honestos, gentis e amáveis.  Isso é sempre o mesmo modus operandi: lobos com peles de cordeiros.
Eu sempre dei um voto de confiança aos outros, sem testar nada nem ninguém, sempre joguei na vida de peito aberto, mas seria interessante talvez pensar em esperar sempre o dia seguinte ao baile para confiar de verdade nas pessoas, e rezar para a providência nos proteger de todos os tipos de predadores, sobretudo os sentimentais, que são os piores, porque simulam gostar da gente e depois que nos conquistam pedem para que os esperemos enquanto eles vão ali dar mais uma voltinha e seduzir outros inocentes. 

E ai de você se exigir lealdade, responsabilidade, cuidado. 
Eles tiram o seu melhor sempre, mas entregam o que possuem de pior e assim: onde você pensou haver um caráter, não havia nada. 




Marcelino Rodriguez é colunista fixo do Blog Luiz Domingues 2. Escritor de vasta e consagrada obra, aqui nos traz uma crônica falando sobre a questão da confiança, nas relações humanas em geral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário