domingo, 7 de fevereiro de 2016

Autobiografia na Música - Kim Kehl & Os Kurandeiros - Capítulo 42 - Por Luiz Domingues


Voltei para a minha casa no dia 18 de abril de 2015, após uma longa internação hospitalar, e duas cirurgias bastante delicadas.

Já deixei o Link para a matéria que publiquei em meu Blog 1, anteriormente, e que explica com detalhes o que me ocorreu nesse ínterim, com detalhes sobre a doença, cirurgias e os dias de internação, não vou repetir tais fatos aqui.

O que importa aqui é que no final de maio, ainda me sentia muito debilitado e mal saia para uma caminhada no jardim do meu condomínio ainda, quando recebi o telefonema do Kim dizendo-me se eu aceitava fazer um show na Faculdade ESPM, muito próxima da minha residência.

Tal apresentação seria de choque, num show a ser realizado num horário insalubre, mas com a certeza de haver uma estrutura legal num palco montado na quadra de esportes de tal instituição e sob responsabilidade do C.A. dos alunos.

Nossa garantia de que seria tudo bacana, vinha da parte do Fulvio Siciliano, nosso amigo guitarrista e que era professor naquela faculdade, portanto, não havia possibilidade de não ser bom. 

Fulvio tocaria conosco e haveria de ser uma grande festa, ainda que num horário absurdo para os nossos padrões Rockers e estando eu na condição de um convalescente (a primeira consulta ambulatorial pós-internação, só ocorreria no dia seguinte, 26, quando comecei a retirar os pontos das cirurgias).  

Bem, apesar de estar num estado lastimável de debilidade ainda, ao menos havia recuperado a coloração normal da minha pele, sem as pedras que destruíram minha vesícula e quase arrebentaram o meu pâncreas e duodeno...

Sobre o show em si, meus amigos combinaram de me buscar e trazer de volta para casa, carregar meu backline e instrumento e eu só teria que tocar. Seria um show de choque, portanto bem curto.

Chegamos na Faculdade ESPM bem cedo, antes das 7 da manhã. Fomos rapidamente para o palco que já tinha um P.A. montado, e uma equipe técnica terceirizada para nos atender.

Nos aprontamos e eu percebi que dava para tocar em pé, sendo um show de choque, e sem fazer mise en scene algum, embora a força do hábito talvez me levasse para isso, mesmo sendo imediatamente interrompido pelas dores e incômodos inevitáveis.

Estava tudo indo bem, com uma passagem de som razoável e só teríamos que aguardar o sinal de intervalo quando os estudantes lotariam o pátio para nos ver tocar.

Mas aí o imponderável ocorreu...

Mexendo em alguma coisa atrás do seu amplificador, o Kim esbarrou no suporte de sua guitarra Gibson Les Paul e ela precipitou-se ao chão. Quando chegou ao chão, quebrou bem na junção entre o final  do braço e o headstock.

Quem for músico e estiver lendo este trecho, sabe que Gibson Les Paul quando cai no chão desse jeito, é uma tragédia. Outras guitarras não sofrem tanto, mas a Les Paul...

O Kim ficou inconsolável, pois além do prejuízo que seria enorme a grosso modo, naquela altura, pairava a dúvida sobre ser possível o reparo. Ele sempre leva duas guitarras aos shows, no mínimo, mas desta vez, por ser um show de choque de apenas vinte minutos, havia levado uma só...

Para voltar à sua residência e buscar outra guitarra, não haveria tempo hábil e a hora da apresentação se aproximava.
                     O guitarrista Fulvio Siciliano, nosso amigo

Chegamos a cogitar cancelar a apresentação, mas aí o Fulvio que faria participação especial conosco se prontificou a segurar a onda na guitarra e como tínhamos a presença do tecladista Nelson Ferraresso conosco, não haveria de ser ruim.

O Kim cantou, agitou e fez suas brincadeiras costumeiras, nem parecia que estava profundamente chateado com a situação, e assim nos apresentamos.
"A Galera quer Rock" na faculdade ESPM, em 25 de maio de 2015

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=6InkQT8XdIM 

Foi realmente um show atípico em todos os sentidos, pois esses shows em faculdades já são exóticos por natureza e não era a primeira vez que eu passava pela situação. O Kim não tocando guitarra num show dos Kurandeiros, e eu naquele estado de convalescença...realmente foi tudo muito atípico.

Contudo, teve o lado bom, pois alheios às nossas dificuldades, boa parte dos estudantes curtiu o show.

Foi assim então, no dia 25 de maio de 2015, tocando na quadra de esportes da faculdade ESPM, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo.
"Maria Maluca" na Faculdade ESPM em 25 de maio de 2015

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=Ep8u4C4Pqhk 

Foi meu primeiro show depois da internação, e apesar do incômodo que ainda sentia e dos problemas que tivemos ali, com a guitarra do Kim quebrando, estava feliz por estar retomando minhas atividades musicais.

Em poucos dias, ainda debilitado mas com vontade de normalizar a vida, estava de novo com o Magnólia Blues Band e Os Kurandeiros novamente em ação. 

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário