sábado, 20 de fevereiro de 2016

Autobiografia na Música - Ciro Pessoa & Nu Descendo a Escada - Capítulo 39 - Por Luiz Domingues


Passado o show de lançamento do livro "Relatos da Existência Caótica", em outubro de 2015, haviam perspectivas para shows fixos, como temporada, no próprio Delirium Café, além de consultas para shows em outras casas noturnas e teatros.

Mas com a virada do ano de 2015 para 2016, tivemos uma má notícia que acabou respingando em nossa banda, quando soubemos que o casal Ciro & Isabela separou-se, e assim, inviabilizou-se a presença da Isabela na banda doravante.  

Claro que não vou comentar absolutamente nada sobre questões pessoais do casal aqui, e nem em off o faria com ninguém, mas cabe registrar que lastimei a situação pelos dois, como casal e individualmente, e claro que também pelo prejuízo à banda, com a perda da Isabela, que provou-nos seu valor como cantora / performer e compositora.

Agora, teríamos que encarar sem ela, e foi o que fizemos.
Ciro Pessoa no show dos Kurandeiros no Santa Sede Rock Bar, em 15 de janeiro de 2016 

Entre janeiro e fevereiro, o Ciro compareceu à vários shows dos Kurandeiros, e do Magnólia Blues Band, onde fez aparições cantando conosco.

Foi uma espécie de preparação, pois em fevereiro anunciou-nos ter fechado um show novamente no Delirium Café, e assim, fizemos dois ensaios acústicos na sua residência, e um elétrico na semana do show.

A ideia era dar uma mexida no set list base do show e músicas que não tocávamos há tempos, foram reincorporadas ao repertório.

Ciro também convidou o baterista do Ultraje a Rigor, o "Bacalhau", para tocar uma música conosco, como convidado especial.
Eis acima uma cópia do filme "La Follie Du Docteur Tube", de Abel Gance

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=fN4he9MJ38A

Ciro deu a ideia de usarmos imagens de filmes surrealistas e dadaístas como projeção de fundo e de minha parte, lembrei-me que havia enviado aos Nudes ainda em 2014, a ideia de usar um curta metragem de 1915, denominado "La Follie Du Docteur Tube", do cineasta francês, Abel Gance, para um futuro promo da banda, visto que tal material caíra em domínio público, com 99 anos de lançado.

Tratando-se de um filme louquíssimo, absolutamente psicodélico, com lisergia incrivelmente futurista para os padrões de 1915, cairia como uma luva para ser promo de uma música dos Nudes.

Portanto, assim que ventilou-se a ideia da projeção, eu lembrei-lhes desse curta, e de pronto eles aceitaram a sugestão.

O Kim fez uma edição com trechos de alguns filmes desse teor ("Un Chien Andaluz", de Buñuel & Dali, naturalmente incluso), e haveria de ser um atrativo a mais para o show.

Usamos esse fato no release do show e a divulgação foi incrível, fazendo-me lembrar do padrão de trabalhos de divulgação em que participei em bandas anteriores onde atuei, considerando o período pré-internet, com apoio da mídia mainstream tradicional, notadamente a impressa.


http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2016/02/1740461-ciro-pessoa-usa-cenas-surrealistas-de-bunel-em-show-gratuito-em-sp.shtml

Matéria na Folha de São Paulo em seu caderno "Ilustrada", no dia do show

Nesses termos, até matéria na Folha de São Paulo conseguimos e com destaque para o fato de que o show teria esse apoio de imagens sensacionais evocando o surrealismo; a psicodelia e o dadaismo. 

Convalescendo ainda e nesse ponto tendo sintomas desagradáveis decorrentes de uma hérnia abdominal decorrente das cirurgias que realizei em 2015, no dia do show, eu não estava muito bem.
                                         Foto : Lara Pap

Mas com apoio dos amigos que não me deixaram fazer nada e de fato eu não podia nem pensar em fazer esforços desmedidos, até um pouco antes do show estava me sentindo desconfortável pelo esforço vespertino em ter que dirigir etc e tal.

Mas deu tudo certo na hora "H".
                              Fotos : Jani Santana Morales 

Muitos amigos prestigiaram o evento e a casa lotou. Nem todo mundo ali estava pelo show, a casa tinha seu público habitue e baseado na jovem burguesia paulistana, é bem verdade.

O "Bacalhau" apareceu bem antes do show começar, com sua namorada, e emendamos um animado papo sobre vários assuntos, incluso a minha exótica contribuição vocal na gravação de uma música de sua ex-banda, "Little Quail and the Mad Birds", em 1993, por conta da gravação do LP coletânea, "A Vez do Brasil" da gravadora Eldorado, onde também participei com minha então banda, Pitbulls on Crack. Essa história está contada em detalhes no capítulo do Pitbulls on Crack, no ponto em que analiso os fatos decorrentes essa cronologia citada.  
Bacalhau tocando bateria e Carlinhos na frente fazendo backing vocals com o Ciro. Foto : Jani Santana Morales

Tanto ele, quanto sua namorada foram extremamente simpáticos, e eu curti conversar com ambos naqueles momentos pré-show.

Mas havia muita gente atraída pelo trabalho do Ciro & Nudes, sim, e foi um belo show, com muita energia e uma performance muito inspirada da parte do Ciro, que usou e abusou da loucura em seus trejeitos e improvisos.
                                      Fotos : Kico Stone 

Apesar das dificuldades em tocar com um P.A, inadequado para o tamanho da casa, e ainda por cima só possível graças aos esforços do Kim Kehl, que foram extraordinários em providenciar levar backline e seu P.A. para suprir o show, visto que a casa não apresentava equipamento algum.

Pelo fato de ter saído matéria grande na Folha do São Paulo, muitos fotógrafos e filmmakers apareceram e cheguei a surpreender-me pela quantidade de gente fotografando e filmando, mais usual em shows realizados em teatros, e não em casas noturnas.
"Biscoitos e Mariposas" com Ciro Pessoa & Nu Descendo a Escada no Delirium café em 18 de fevereiro de 2016. Filmagem de Lara Pap

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=JS223cizVoA

"As Formigas estão vendo tudo", com Ciro Pessoa & Nu Descendo a Escada em 18 de fevereiro de 2016, no Delirium Café. Filmagem de Kico Stone.

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=COHdYt74l-c 


Muitas propostas para shows; aparições na TV; entrevistas e outros agitos, incluso a gravação de um novo álbum, ocorreram dali em diante, animando-nos sobre as perspectivas que o trabalho poderia alcançar doravante.

Fechados como um quarteto, éramos Athos; Porthos; Aramis & D'Artagnan doravante, embora a possibilidade de incorporar um tecladista entrasse na lista de medidas futuras.  
"Vertigem & Colapso" com Ciro Pessoa & Nu Descendo a Escada no Delirium Café, em 18 de fevereiro de 2016, Filmagem de Kico Stone

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=Q6miM3rZNgE  

Chego neste ponto da minha história com Ciro Pessoa & Nu Descendo a Escada, onde alcancei a absoluta sincronia com o tempo presente onde escrevo, 21 de fevereiro de 2016, portanto, dois dias depois do show que descrevi acima.

Dessa maneira, dou por encerrado parcialmente o meu relato sobre minha trajetória com este trabalho, deixando a ressalva óbvia de que se trata de uma história viva, e em plena construção.  
                                      Foto : Kico Stone
 
Portanto, deixarei acumular os fatos doravante, para dar chance ao tempo, estabelecendo assim a devida observação do distanciamento histórico a evitar que escreva precipitadamente e mude o teor dos fatos, perdendo o poder da análise, que só o tempo pode me dar.

Por enquanto, está encerrada esta parte da minha autobiografia com Ciro Pessoa & Nu Descendo a Escada.

Daqui em diante, fique com a história da Magnólia Blues Band.

Aguarde novos capítulos dos "Nudes" para o futuro.

Grato por ler esta parte da minha trajetória na música, amigo leitor !
 Até logo !

Nenhum comentário:

Postar um comentário