domingo, 31 de janeiro de 2016

Diário de um Amor - Por Marcelino Rodriguez


A primeira vez que tive um desentendimento maior com Lua, foi devido ter me desviado da minha disciplina espiritual.
 

Fiz algo que não é de costume, devido aos acontecimentos mundiais, bebi dia de semana, uma terça-feira. 

Tinha jogo à noite e bebendo eu ficaria acordado, com certeza, e arrematei o que restava do meu uísque com cerveja preta premium. Uma meia dúzia.
 

Falávamos ao telefone e ela dizia que eu estava bêbado e eu dizia que não estava. Era um impasse clássico dos sexos convencionais. Um bêbado, por uma questão lógica, não pode reconhecer que está bêbado.

Eu bati o telefone. Ou ela bateu.
 

Por conta de não estar forte na oração, Satanás deve ter aproveitado para enfiar o garfo no meu traseiro.

No dia seguinte, deixei um recado como se nada tivesse acontecido, ou quase assim, dizendo que ela precisava confiar em mim. Depois, como ela demorasse a responder, fui entrando em pânico, e comecei os estágios do meu desespero que é passar de Shakespeare e sua dramaticidade até dizer glu glu dá dá, num crescendo. 

Ela demorou ainda mais a responder e aí fui sentindo toda dor do universo, de modo que eu sentia a morte de perto. Fui me sentindo desfazer e eu tinha virado puro algodão doce. 

Era isso que eu tinha virado e aonde o amor nos leva: virar algodão doce. Ainda mandei alguns coraçõeszinhos sem esperança.

Pela primeira vez na vida, senti raiva de uísque,mesmo uísque de boa qualidade. Decidi nesse dia que iria beber menos, bem menos.


Quase nada. 


Ela me recomendou tomar um banho de ervas, depois que ficamos de bem. E claro que vou tomar o banho.

É a Lua quem manda, não é ?



Marcelino Rodriguez é colunista fixo do Blog Luiz Domingues 2. Escritor de vasta e consagrada obra, aqui nos brinda com uma crônica que certamente vai fazer com que muitas pessoas, homens e mulheres, se identifiquem.

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Pois é, essa crônica do Marcelino tende a provocar muita identificação da parte dos leitores do Blog.

      Grato por ler e comentar !!

      Excluir
  2. Oi Luiz, quanto livros você tem para publicar? Poderia me dizer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Maria José !

      De fato, tenho vontade de publicar livros doravante. Mas na verdade, minha carreira artística foi toda construída na música, onde tenho 15 discos lançados, na somatória de todas as bandas por onde atuei.

      Estou terminando de escrever meu primeiro livro, que é uma autobiografia contando minha trajetória na música, e que vem sendo publicado neste mesmo Blog 2, em micro capítulos, e republicados, numa formatação mais próxima de um livro tradicional, no meu Blog 3.

      Mais para frente, penso em publicar sim a autobio em livro tradicional de papel.

      E a seguir, penso em lançar outros livros com minhas matérias; resenhas e crônicas.

      No caso desta crônica aqui publicada, ela não é de minha autoria, mas sim de meu colaborador, Marcelino Rodriguez, este sim um escritor já consagrado e com mais de 15 livros publicados.

      Grato pelo interesse !!

      Excluir