sábado, 30 de janeiro de 2016

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 180 - Por Luiz Domingues


Em agosto, tínhamos enfim duas perspectivas agendadas para o mesmo mês, uma raridade para o Pedra, infelizmente.

A primeira oportunidade era um show compartilhado com os amigos do Tomada, no Centro Cultural São Paulo.


Finalmente estávamos voltando ao CCSP, e de fato, não tocávamos ali desde 2009, quando se tratava de uma autêntica rotina fazer ao menos uma apresentação anual. Mas o órgão havia mudado as regras e mesmo mantendo o mesmo programador, que conhecíamos desde os tempos do Pitbulls on Crack e que agendara todos os shows da Patrulha do Espaço que ali fizemos em nossa formação "chronophágica".

Mas os tempos haviam mudado e agora até para conversar com o programador que era um hippie da velha guarda, chamado Nilson e que anteriormente, nos recebia de forma muito coloquial, ficara difícil. 
             CCSP, 10 de agosto de 2014. Foto : Grace Lagôa

Lembro-me até de uma visita que eu e Xando fizemos ali para tentar agendar um show e que ele nos tratou de forma estranha, como se estivesse receoso com pessoas à sua volta que supostamente o vigiavam e nos convidando a falar baixo, se mostrava não focado na conversa, olhando para todos os lados com ar de preocupação acentuada, e num dado instante nos convidou a irmos com ele para outro ambiente onde concluímos a conversa, sem nenhuma providência concreta tomada. 
                                    Fotos : Grace Lagôa

Anteriormente a isso, ele abria a agenda e perguntava ? "-Que dias vocês querem tocar" ? Portanto, era uma diferença e tanto e para muito pior, naturalmente.  
                               Fotos : Leandro Almeida

Mas, o baixista do Tomada, Marcelo "Pepe" Bueno havia conseguido a data e na obrigatoriedade de estabelecer show compartilhado como condição sine qua non para fechar a data, nos indicou.  

 
                                 Fotos : Leandro Almeida

Enfim, não nas condições normais a que nos acostumáramos, mas pelo menos marcado, estaríamos de volta ao palco do CCSP.

No dia, quando eu cheguei ao local, fui o primeiro a chegar e a seguir o Marcelo Bueno apareceu. Ficamos ambos conversando por um longo período, esperando o teatro ser liberado e à revelia e só descobrimos no dia, uma apresentação de música folclórica fora programada para o meio dia, portanto, até esta terminar e o palco ser liberado para nós, tal operação consumiu seguramente duas horas do tempo que achávamos que tínhamos.  
                                  Fotos : Marcelo Felix

Essas medidas arbitrárias sempre contrastavam com o rigor burocrático do CCSP, numa via dupla desigual, sem dúvida.

Quando a pequena orquestra folclórica encerrou sua apresentação e o público formado por crianças e seus pais deixou o teatro lentamente, já batia na casa das 14 horas e se não fôssemos ágeis, o soundcheck se arrastaria e inevitavelmente passaríamos pelo martírio de estar ainda terminando-o e com muitas pendências não resolvidas, com um funcionário do CCSP nos pressionando para deixarmos o palco imediatamente porque abririam para o público.  
                                  Fotos : Bolívia & Cátia

Em ritmo de cooperação total, o backline foi todo compartilhado entre as duas bandas, e na base do mutirão, conseguimos agilizar o processo a tempo de um soundcheck bacana.

Não teríamos o Renato Sprada nessa tarde, mas o técnico do CCSP , que era um assistente em anos anteriores, havia crescido na sua carreira e agora era o técnico oficial do teatro e dava conta do recado com qualidade. Molina era certeza que trabalharia e mais uma vez a luz foi ótima em sua suas mãos.
Camarim do CCSP em 2014. Da esquerda para a direita : Laert Sarrumor; Lígia "Sarrumor"; Luiz Domingues e Xando Zupo. Foto : Grace Lagôa

Antes do show começar, recebi a visita de Laert Sarrumor e sua filha, Lígia. Laert não poderia assistir o show  por conta de um compromisso assumido naquela noite, mas sua filha que também era grande fã de nossa banda, prestigiou-nos.  
                              Fotos : Leandro Almeida

O Tomada insistiu para tocar primeiro e me lembro que assisti o início de seu show atrás do palco. A banda estava ótima e essa formação era de fato muito boa com Vagner na guitarra e Matheus nos teclados. Aliás, este levara uma tecladeira incrível ao estilo anos setenta, mas tudo baseado em teclados brasileiros construídos por um luthier especializado em construir teclados modernos, com design e sonoridades vintage. O Rodrigo usou tudo e eu curti fazer o show ouvindo aqueles timbres incríveis de bandas setentistas. Até um Theremin estava à disposição, para dar ares psicodélicos aos shows.  
"Abstrato Concreto" no CCSP em 10 de agosto de 2014

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=-1h8I-wTd7M
"Furos nos Sapatos" no CCSP em 10 de agosto de 2014

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=-pWL6EDEfAw
"Pra Não Voltar" no CCSP em 10 de agosto de 2014

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=AqGxw7CAQKA
Intro com menção à Jesus Christ Superstar + Madalena do Rock'n Roll no CCSP em 10 de agosto de 2014

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=8VqnYjV2tD8
"Queimada das larvas dos campos Sem Fim", no CCSP em 10 de agosto de 2014

Eis o Link para assistir no You Tube:
https://www.youtube.com/watch?v=AtRofjLcsvc
"Cuide-se Bem" no CCSP em 10 de agosto de 2014

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=jRNre3-Be3A
"Filme de Terror" no CCSP em 10 de agosto de 2014

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=MHGaaB2hxE0
 
"To Indo a Mil" no CCSP em 10 de agosto de 2014

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=qka1zgHaWPw
Um medley do show do CCSP em 10 deagosto de 2014, em filmagem de Bolívia & Cátia

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=JLRSWdsFqOc

Marcelo estava estreando um novo baixo recém adquirido, um Gibson Les Paul dourado, muito bonito e ofereceu-me para eu usá-lo. Pensei até em usá-lo em duas músicas ao mesmo, mas acabei fazendo o show inteiro com meu Fender Precision, mesmo.  
                                 Fotos : Leandro Almeida

Nosso show foi bom, embora o recado tenha sido curto naquela noite, pelo fato do show compartilhado reduzir o set list de cada banda a apenas 45 minutos parta cada uma.

Mas, tenho a boa lembrança de sentir uma vibração muito boa do público, embora mais uma vez eu ache que num domingo de tempo bom, com estação do metrô acoplada ao local, som e luz legais, e duas bandas autorais com carreiras longas e tocando juntas sob um valor irrisório de ingresso cobrado...enfim, nada justifica um público tão pequeno diante dessas tantas condições favoráveis.  
                              Fotos : Bolívia & Cátia

Na minha carreira, cheguei a tocar ali com mais de 1300 pessoas presentes no teatro, nos anos oitenta, e agora, sinal dos tempos, agora 200 pessoas era considerado um bom público...

Agora, nosso próximo compromisso se daria em Santo André.
                                   Foto : Paulo Krüeger
Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário