domingo, 17 de janeiro de 2016

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 151 - Por Luiz Domingues


Sem muitos meios para aproveitar melhor o embalo que o programa da Veja nos proporcionou, uma coisa ficou patente aos nossos olhos : a repercussão que nossa versão acústica de "Cuide-se Bem", do Guilherme Arantes, ganhou, nos surpreendeu.

Não se tratava de não acreditar na canção, tampouco na figura de seu compositor, que aliás era um artista que todos admirávamos. 
                     Acervo de Fabiano Cruz

Todavia, acostumados a lidar com a nossa versão de "Filme de Terror" do Sérgio Sampaio e pensando em todos os códigos inerentes que tal composição e ligação do artista em si tinham, achávamos que num veículo mainstream com era a revista Veja, e seu braço áudio visual expresso pelo programa "Veja Música", tal canção repercutiria mais, mas "Cuide-se Bem" sobressaiu-se de uma forma absurda, acendendo um farol para nós.

Tirante uma manifestação desagradável de um músico veterano e infelizmente disléxico, que colocou um enorme depoimento negativo no meu perfil do Orkut, criticando-nos por estarmos "usando o Guilherme Arantes como muleta" para a nossa carreira, e que relevei completamente, a esmagadora maioria das pessoas estavam encantadas pela escolha e pelo arranjo / performance.
                                 Foto : Grace Lagôa

Mérito grande do Xando, que teve a ideia e bancou-a com vigor, logo apoiado pelo Rodrigo.

Portanto, diante desse resultado prático que passamos a observar, não demorou para surgir a ideia de se gravar uma versão elétrica da mesma canção e aí sim, se tornaria um sucesso ainda maior, mas é prematuro falar desse desenvolvimento ainda. Já chego lá...

Neste momento, a narrativa chega ao ponto de março de 2010, onde um novo single estava pronto para ser lançado através de seu veículo de internet, ou seja, um vídeo-clip, ou, na minha maneira de ver, um "promo".

Xando trabalhou desta feita a música "Pra Não Voltar", um Hard-Rock bastante vigoroso, eu diria e com uma execução difícil, mas bastante prazerosa pelo arranjo que ficou ousado em alguns aspectos.

Como em janeiro, Xando e sua esposa, Grace Lagôa, haviam feito um cruzeiro marítimo para a Argentina, eles tinham capturado imagens de sua viagem e algumas eram completamente desconectadas da perspectiva familiar / recreativa, portanto, foram muito bem usadas, como por exemplo impressionantes raios no horizonte oceânico, prenunciando chuva.
O promo oficial de "Pra não Voltar", lançado em março de 2010

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=ri3UQmvj7yQ

Além da beleza dos raios em alto mar que chegam a ser assustadores de certa forma, tem cenas intercaladas de uma filmagem de show do Pedra no Central Rock Bar, em 2009, mas não sei precisar de qual dos três shows que lá fizemos nesse ano, e desconheço que o Xando tenha disponibilizado imagens desse show, separadas ou não, no You Tube.

Outro recurso usado, foi o do Chroma Key, onde o improviso para capturar tais imagens foi total, com um resultado elogiável, em minha análise.

É claro que um profissional acostumado com produção áudio-visual vai bater o olho e constatar a precariedade dessa produção, mas para 99.9 % das pessoas que assistem o vídeo, a impressão que tem, é a de que usamos um estúdio com recursos, maquinário, parede Chroma Key preparada, iluminação profissional etc.

Mas, tudo foi filmado na própria sala de ensaio do estúdio Overdrive, utilizando tecidos pretos improvisados nas paredes para fazer um Chroma Key ultra improvisado. A direção foi do Xando, que tinha na cabeça mais ou menos o que desejava e tudo era bem simples : ele cantando o tempo todo e os demais tendo aparições fantasmagóricas praticamente, aproximando-se à sua volta, para simular a entoação dos backing vocals.

Fora disso, tem cenas do solo de guitarra, filmadas nas mesmas condições e momentos da banda inteira cantando o refrão, mas divididos em quadros, ao estilo da capa do LP Let it Be, dos Beatles. 

Aliás, quando chega nesse ponto, destaco a performance pessoal do Rodrigo, que fez uma expressão facial bastante convincente, como se fosse ator profissional, mostrando um semblante que passa a impressão de um personagem debochado, cínico mesmo, e que tem a ver com a proposta da letra de certa forma, falando sobre pessoas com dificuldades para se livrar de vícios em geral e dependência química em específico.

Elogio bastante a criatividade e o esforço do Xando em ter concebido esse vídeo-clip, na raça, como se diz por aí. Vendo as condições que tínhamos, e comparando ao resultado final, é realmente digno de elogio o esforço e a capacidade criativa em criar algo tão convincente, com tão poucos recursos.

O embalo que tínhamos nesse início de 2010, ainda era bem por conta do primeiro clip lançado em janeiro e intensificado pelo advento da nossa participação no programa "Veja Música". Portanto, quando "Pra Não Voltar" foi lançado, o barulho que conseguiu fazer na Internet foi bom, e a qualidade da música agradou aos fãs do Pedra.

De minha parte, eu ainda era muito iniciante na internet, mas também fiz o meu agito e angariei muitos simpatizantes novos para o Pedra. Interagindo com estranhos em muitas comunidades não necessariamente ligadas ao Rock, e nem mesmo sobre música em geral, trouxe a atenção e simpatia da parte de muita gente para a nossa banda, e estava contente em dar minha contribuição mais incisiva no campo da divulgação, coisa que antes não tinha meios de fazer.

Os apresentadores do programa Tah Ligado : Maga Lieri & Paulo Ragassi

Ainda em março, no dia 12, fomos convidados a participar de mais um programa cultural bacana de TV de Internet. Desta feita, tratava-se do "Tah Ligado", do canal ALL TV, uma revista cultural interessante conduzida pelo casal de apresentadores Paulo Ragassi e Maga Lieri (esta uma cantora de Soul Music que conhecíamos pelo fato dela ter discos lançados pela gravadora Ameliss Records, onde o nosso primeiro disco também foi lançado).

Xando e Rodrigo tocaram violões, mas resolvemos não levar equipamento de baixo para eu tocar também e assim, o Ivan também não levou instrumentos de percussão.
                                     José Luiz Goldfarb

Bate papo descontraído, e com a presença do físico e filósofo José Luiz Goldfarb, uma figura recorrente em muitos programas de TV, inclusive as abertas, que estava ali para falar do Twitter, que parecia ser a bola da vez na internet, daquele momento de 2010...

Eis o Link para assistir no Vimeo :
https://vimeo.com/10167733 

Voltando a falar do promo lançado, assim prosseguimos trabalhando forte nesse esforço de divulgação e nessa altura, num gesto de boa vontade, ofereci-me para cuidar dos dois perfis que a banda tinha no Orkut, e um deles controlando a comunidade oficial naquela rede social.  De fato, cuidei de tudo até que o Orkut saiu do ar, no dia 30 de setembro de 2014, quando postei mensagem final de agradecimento em nome do Pedra, nos dois perfis, e na comunidade.

Em 15 de abril de 2010, uma matéria de página inteira foi publicada no Jornal da Tarde de São Paulo, com um mote até surpreendente para a época, onde não haviam indícios de resgate de raízes setentistas no Rock. Mas se o jornalista em questão (Marco Bezzi),  pescou isso no ar, ótimo, que bom alguém da mídia mainstream, geralmente comprometida com a oposição ferrenha à tais ideais, levantasse tal hipótese em meio ao deserto inóspito que o Rock brasileiro vivia há décadas.

Claro, em se tratando de uma matéria geral, entrevistando vários membros de bandas dessa suposta cena, não tinha o foco exclusivo em nossa banda, mas claro que comemoramos o fato e dava a sensação de uma avalanche midiática, super bem vinda para nós, e para as demais bandas enfocadas.

E não posso deixar de mencionar o fato positivo que nossa foto saiu com grande destaque em relação às demais fotos de bandas amigas. 

Outro fato animador ocorrido ainda em abril, foi o convite para participarmos ao vivo, tocando e conversando num programa de internet, chamado "Talk Show", na Just TV.

O Pedra foi uma banda que teve pouquíssimas chances em programas de TV aberta, portanto, as poucas ocasiões em que nos abriram espaço para divulgar nosso trabalho, se resumiram aos programas de internet, talk-shows, predominantemente.

E foi o caso do convite que recebemos da produtora Célia Coev, que havíamos conhecido em 2008, por ocasião de nossa participação num programa por ela produzido, chamado "Loucuras do Alexandrelli", na Just TV.

Desta feita, seu convite era para outro programa sob sua produção, chamado, igualmente veiculado na Just TV.

Contudo, o estúdio onde era gravado tal talk show, ficava em outra instalação, no caso, nas dependências de uma faculdade particular no bairro de Moema, zona sul de São Paulo.

Realizado ao vivo e num ritmo frenético, pois não se podia admitir atrasos nessas circunstâncias, foi bastante divertido participar dele.
Programa Talk Show - Just TV - 20 de abril de 2010

Eis o Link para assistir no You Tube :

https://www.youtube.com/watch?v=qsuyliWV240


O apresentador era bastante simpático e se chamava Fernando Sanini. Sua introdução do programa já começou hilária, citando um aforismo sobre sexo, nos surpreendendo completamente, pois não tinha nada a ver, soando muito insólito. Nos bastidores nos contou que era músico também, batalhando por sua carreira.

Papo bastante descontraído e até com momentos hilários (um telespectador chamado "Ben Hur", pediu uma mensagem da banda e o Rodrigo foi rápido : -"Boa corrida de bigas aí para você, Ben Hur...estamos torcendo por você"...), além de termos tocado nos moldes acústicos do que fizéramos no programa da "Veja Música", todavia, sem o aparato de áudio e imagem daquela produção requintada.

Aliás, nesse quesito, é engraçado verificar no vídeo os estouros de baixo e bateria, com o técnico fazendo correções drásticas ali no calor da execução ao vivo. A falta de microfones para todos, também denunciava a precariedade de uma produção de internet, mas é o tal negócio : eram programas assim que nos abriam as portas, e praticamente posso afirmar que eram outsiders como nós, buscando espaço, portanto, além de sermos agradecidos, nos solidarizamos com a luta deles, também. 

Mas foi bastante divertido e tocamos "Filme de Terror"; "Meu Mundo é Seu"; e "Nossos Dias".

Aconteceu na noite de 20 de abril de 2010.

O mês de maio de 2010, traria mais novidades boas para a banda, dando-nos a impressão de que os ventos mudariam, enfim...


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário