segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Visão e Alcance - Por Julio Revoredo


Por entre o pálido obducto inominável

Virgens florestas do imperscrutível

Vivem a vida do outro lado

Parece difícil, mas é calmo e tão fácil

Ali, aonde a paz e a luz se equilibram

Por entre um véu intáctil

Portanto, abra os braços e voe




Julio Revoredo é colunista fixo do Blog Luiz Domingues 2. Poeta e letristas de diversas canções que compusemos em parceria, em três bandas onde fui componente : A Chave do Sol; Sidharta, e Patrulha do Espaço.

Neste poema, nos convida a acreditar que o que parece impossível é na verdade fácil, bastando ter a coragem de se jogar no voo, sem receios.

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Recomendo a obra do poeta Julio Revoredo, com ênfase !!

      Grato por ler e comentar, Christine !

      Excluir
  2. Júlio fechando o ano com chave de ouro, ou Chave do Sol, hahaha.
    Aceitamos o fluxo da vida visionando o que ela te dá de melhor.
    É o verdadeiro sentido da esperança do verbo esperançar, não só esperar e sim ir atrás do desejo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, o poeta com sua sensibilidade sabe pincelar as palavras como um pintor o faz em sua tela.

      Grato por ler e comentar !!

      Excluir