quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 121 - Por Luiz Domingues


Empolgados com tudo o que estava ocorrendo, jamais poderíamos supor que um mal entendido gigantesco, provocaria uma ruptura abrupta e triste, acabando com a euforia...

Foi assim : quando Barbieri nos mostrou o segundo clip, da música "Projeções", notamos que ele colocara uma tarja anunciando seu site. Nada mais justo que inserisse uma propaganda de seu site e era o mínimo que poderíamos fazer por ele em termos de retribuição por tudo o que estava fazendo em nosso favor, gerando um verdadeiro portal de oportunidades inimagináveis para a carreira da nossa banda.

Contudo, discordávamos da forma como a tarja aparecia, bem no meio do clip, e um tanto quanto exagerada em sua dimensão, tirando ligeiramente o foco do clip em si.

Isso também acontecia com o clip viralizado de "Longe do Chão" e entre nós, achávamos tal procedimento inadequado, mas em meio à euforia gerada pelo resultado no You Tube, nunca tivemos uma conversa franca sobre esse problema e assim, quando ficou pronto o Clip de "Projeções", vimos que ele insistira nesse procedimento e nessa altura, já estávamos prontos para falar abertamente sobre essa queixa de nossa parte.

Todavia, um fato fortuito e quase que involuntário, causou um incidente, e mudou o rumo da nossa relação com Barbieri, estragando a parceria. 

Ocorreu que o Rodrigo colocou uma cópia do Clip novo, ainda sem a tal legenda no ar, e quando o Barbieri viu a postagem, enlouqueceu.

Da parte do Rodrigo, sua intenção não fora maquiavélica para prejudicar o Barbieri. Em sua ingenuidade, achou que adiantaria o serviço e que "depois", mediante um papo, tudo se esclareceria com Barbieri, visto que na ficha técnica, todo o crédito para Barbieri estava todo correto e com direito à menção ao seu site, o que era o justo e mínimo de nossa parte para retribuir tudo de bom que ele estava fazendo por nós e certamente ainda faria.

Mas era o tal negócio...como explicar para o delegado, que nariz de porco não é tomada, como se diz popularmente ?? 

Imagine o cara lá em Londres, cheio de entusiasmo para com a banda, abrindo o seu monitor e vendo que o clip fora lançado de forma unilateral e sem a tarja de seu site, sendo que o esforço de produção era todo seu ? O que deve ter sentido ?

Claro que sentiu-se traído, apunhalado pelas costas, e no calor da discussão (e foram dias de E-Mails tensos travados entre ele e Xando, que absorveu a bronca por ter acesso direto aos endereços oficiais da banda e portanto recebendo a artilharia pesada de Barbieri), o rompimento das relações foi inevitável.

Foi um mal entendido inacreditável que gerou um resultado tão forte, ou maior ainda que o surpreendente sucesso do primeiro clip, eu diria.

O Rodrigo só queria lançar o novo clip sem a tarja e nós também achávamos que ela era inconveniente, esteticamente falando. Pensávamos que se na edição, o Barbieri colocasse com toda a justiça e direito, sua propaganda no início e no final do clip, ao estilo da edição da MTV ou VH1, ficaria perfeito para ambas as partes e queríamos tratar disso com ele.

Portanto, a precipitação inocente do Rodrigo em postar antes de combinar a modificação com o autor dos clips, gerou esse mal estar de um tamanho gigantesco.

Da parte do Barbieri, ele sentiu-se usado e traído e não era esse o caso, de forma alguma, pois o Pedra era formado por quatro homens de bem, que jamais tomariam uma atitude assim contra ninguém, quanto mais um amigo que estava nos dando uma mão incrível naquele momento. Contudo, no calor da raiva, eu entendo que era difícil para ele, Barbieri, enxergar a situação com tal frieza e constatar que fora apenas "uma cagada", com o perdão do termo escatológico e de baixo calão.

Como resultado, após discussões ríspidas das duas partes, Barbieri retirou o clip de "Longe do Chão"do ar e cancelou o lançamento do clip de "Projeções".

Meu caro leitor, diante de tudo o que já falei sobre o episódio desses clips, em especial o do "robot", dá para mensurar o tamanho do prejuízo artístico que essa decisão de retirá-lo do ar, nos causou ??

Então, cessando a animosidade, mas com o selo amargo do rompimento de relações, Barbieri pediu nossa atitude em forma de cavalheirismo, para que também retirássemos o vídeo de "Longe do Chão" do ar, pensando em nossas postagens, e claro que o fizemos, em termos de lisura.

E a minha situação pessoal nesse imbróglio, como ficou ?

Sim, porque dos quatro, eu era o que mais conhecia o Barbieri, por conta dos inúmeros show que ele produziu da minha banda nos anos oitenta, A Chave do Sol, e minha impressão sempre fora a melhor possível sobre sua pessoa, em todos os quesitos, notadamente a sua força como produtor entusiasmado e empreendedor, assim como a lisura no trato financeiro. Pelo lado humano, o considerava / considero, um amigo.

Mas ali em 2008, eu vivia um pequeno dilema pessoal, pois não acessava a internet, não sabendo nem o be-a-bá dos computadores, que me possibilitasse me dirigir à uma Lan House do bairro e me comunicar com ele, quando certamente o chamaria para uma conversa esclarecedora entre amigos, e sei que ele me ouviria com outros ouvidos.

Por outro lado, não poderia também ser contra o pensamento da minha banda e seus interesses, além de que particularmente, também achava que a história da tarja estava exagerada e deveria ser modificada.

Então, avançando um pouco na cronologia, mas só para encerrar esse episódio da relação Pedra / Barbieri, digo que por ocasião do Natal de 2008, arrumei o endereço postal dele em Londres, e lhe enviei uma carta manuscrita, tradicional, ponderando sobre tudo isso e expressando o meu lamento pelo mal entendido que gerou prejuízo e perda para todos e que eu, estava chateado em nome da nossa amizade que vinha desde os anos oitenta.

Eu precisava tomar essa atitude, por tudo o que já expressei antes, mas sobretudo pelo fator limitante de não ter comunicação virtual e ter passado a imagem de conivente ou omisso nessa situação.

Alguns dias depois, avançando em janeiro de 2009, recebo uma carta muito bonita, manuscrita por ele, mostrando-se emocionado com minha manifestação e reiterando que apesar do aborrecimento gerado, ele tinha certeza de que isso não abalaria a nossa amizade de décadas, e que ficara muito emocionado com a minha manifestação isolada e sincera.

Não demonstrou no entanto, nessa carta, que havia entendido e absorvido o ponto de vista do Pedra nessa confusão, mas era o tal negócio, eu não poderia exigir que ele entendesse, pois era questão de fórum íntimo dele. 

O tempo passou, o Pedra acabou, passou mais um tempo e o Pedra voltou (não se preocupe, leitor, pois volto à cronologia assim que terminar este raciocínio)...

Então, em 2013, passados cinco anos desse lamentável episódio, sem alarde, sem propaganda, Barbieri repostou os dois clips do Pedra no You Tube.

Claro que a repercussão foi muitíssimo diferente, haja vista que hoje, 2015, o clip de "Longe do Chão" ainda está com "700 e poucos views", num padrão até abaixo do que o Pedra gerou em seus promos, normalmente ao longo de sua história.

Mas fiquei contente por ele ter tido tal atitude e também por colocar os créditos de uma forma bem mais razoável, fazendo sua justa propaganda, mas sem tirar o foco dos dois clips em si.

Mais que isso, ambas, o clip de "Projeções", também, são belas produções que ele fez e merecem muito estar no ar para que as pessoas usufruam deles.
O Clip de "Projeções", criado em 2008, mas só lançado oficialmente em 2013. Produzido por Antonio Celso Barbieri, baseado nas ilustrações de Diogo Oliveira

Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=wL9NQ59CikY

As músicas e as imagens em ambos, se casam de forma extraordinária, e atribuo ao Barbieri a feliz percepção de ter feito tal junção, fora o trabalho todo da produção e o seu costumeiro entusiasmo em produzir, agitar, empreender...

Por volta de 2014, ele nos abordou, timidamente, como se a relação estivesse se normalizando, aventando a possibilidade de participarmos de um festival de artistas brasileiros em Londres. E nessa altura, eu já interagia fartamente na Internet, e participei das conversas.

Não deu certo, coisas assim são complicadas e tudo bem, a vida seguiu.

Nossa amizade pessoal continua normal, nos falamos por telefone quando ele veio ao Brasil em 2015, e infelizmente eu estava convalescendo por ter enfrentado duas cirurgias decorrentes de um problema de saúde que tive no início desse ano, e por isso não nos encontramos pessoalmente.

Vez por outra ele publica textos meus que aprecia, em seu site, e isso me deixa feliz e honrado, certamente.

Foi assim então a história dos clips produzidos por Antonio Celso Barbieri, e apesar do desfecho lastimável que tivemos em 2008, a vida seguiu para o Pedra, apesar da perda incalculável que isso gerou na época.

Chateados ao extremo pelo ocorrido, mas tínhamos shows para fazer...

Continua  

Nenhum comentário:

Postar um comentário