quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 92 - Por Luiz Domingues


O Xando Zupo sugeriu que fizéssemos uma releitura de algum clássico do Rock ou da MPB, para incluirmos nos shows e no novo álbum. Sua argumentação era de que seria "cool" realizar tal empreitada, dando um verniz diferente ao disco etc etc.

O Rodrigo pareceu gostar da ideia logo de cara, e o Ivan mostrou-se neutro, mas pendendo para o "sim", mais acentuadamente.

Eu confesso que não gostei da ideia em princípio, pois tenho a tendência de não achar necessário para um artista, escorar-se em outro para galgar um degrau na carreira.

Não tenho dúvida de que as releituras cometidas pelos Beatles, Stones, Who, Led Zeppelin e Cream (só para citar poucos exemplos), em seus primeiros álbuns, são bacanas, mas gosto muito mais do material próprio que criaram, não tenho nenhuma dúvida, também.

Não me posicionei contra, pois não sou nenhum chato e/ou xiita, que cria casos dentro de uma banda para fazer valer uma opinião, mas se dependesse de mim, jamais tal proposta seria feita.

Com a tendência de 3/4 da banda gostarem da ideia, é claro que a ideia vingou e daí em diante, passou-se à "fase B", com as inevitáveis listas de sugestões. Logo descartou-se alguma canção internacional, pois foi consenso que seria muito mais interessante lidar com alguma coisa da MPB.

Entre tantas coisas que gostamos da MPB, é nas décadas de 60 e 70 que residem nossas predileções, e daí, pensar no "Clube da Esquina" parecia algo muito natural. Mas também poderia ser óbvio demais gravar alguma coisa daquele álbum, ou mesmo canções avulsas do Lô Borges, Beto Guedes, Milton Nascimento e outras estrelas dessa egrégora.

Então, o Xando sugeriu alguma coisa diferente, igualmente setentista e com um pé no Rock, também. Era uma canção do disco do Sérgio Sampaio, mas não o "Eu quero é botar meu bloco na Rua", como seria óbvio. Era uma canção chamada "Filme de Terror".

Com letra acintosamente calcada em metáforas cutucando a ditadura em voga (o disco é de 1972, mas talvez o Sampaio a tenha composta em 70, 71, ou até antes), era perfeita para fazer o link com outro tipo de horror, não o da ditadura, mas o de uma sociedade com medo de facções criminosas organizadas, como era o panorama da metade da primeira década do século XXI.

Um dos "malditos" da MPB setentista, o grande Sérgio Sampaio

Em termos musicais, a música apresentava uma estrutura harmônica quase de Hard-Rock, com bela melodia e no arranjo original, não havia peso, mas uma pegada Rocker setentista era insinuada, principalmente por um fraseado tercinado, executado pelo guitarrista que o acompanhou na gravação do LP.

Bem, quando começamos a criar o nosso arranjo, preservei essa ideia no baixo, mas com muito mais peso e pegada rocker, usando o John Entwistle como referência e isso ficou tão marcante, que anos depois, um rapaz postou comentário no YouTube, numa das inúmeras versões vivo que essa música tem exposta nesse portal, dizendo que tínhamos surrupiado acintosamente algumas músicas do Rush, e citou-as.

De fato, há uma semelhança, mas é o tal negócio : eu segui a orientação do arranjo original ao gravar as frases tercinadas feitas pela guitarra, como se escuta no disco do Sampaio ("Eu Quero é Botar meu Bloco na Rua", de 1972); e tenho pouca ou nenhuma influência do Rush na minha formação musical. 

Quando faço uma tercina, a referência para mim é sempre o John Entwistle, e não o Geddy Lee.

Nada contra o Rush, tampouco o Geddy Lee, absolutamente... 
"Fly By Night" e "Caress of Steel", dois discos do Rush dos anos 70, que tenho em meu acervo pessoal

Até acho legal o Rush e tenho dois discos dessa banda na minha estante, mas não é nem de longe, uma influência para mim, portanto, nesse caso, tratou-se de uma coincidência e convenhamos, que eu saiba, o Geddy Lee não entrou com protocolo no INPI para patentear a tercina...
O áudio de "Filme de Terror", do disco

Eis o Link para escutar no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=ikraNlVWsT0

Assim nasceu a ideia de termos "Filme de Terror" no nosso repertório...
Fotos 1, 2, 3, 6 e 9, são de Grace Lagôa 

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário