sábado, 19 de dezembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 302 - Por Luiz Domingues


Passado o momento inicial quando a minha nova banda, o Pedra fora atacado na Internet por fãs da Patrulha, alvo de um falso boato, conforme já narrei em capítulo anterior, soube que o Junior anunciava shows em 2005, com uma nova formação e fiquei feliz por isso.

Seriam shows pelo estado do Paraná, se não me engano, e fiquei contente por saber que a banda continuaria sua saga, com novos componentes e desafios.

Fui acompanhando de longe e pela internet que ainda não acessava, mas via na casa de amigos, ou pelo relato do próprio Samuel Wagner, que continuou normalmente exercendo suas funções como roadie da banda e com quem mantive contato nos anos vindouros, igualmente pelo fato dele também ter se tornado roadie do Pedra nesses anos.

Por volta do final de 2005, fui informado, assim como os demais ex-membros da nossa formação, que o Junior fizera esforços para mixar os tapes gravados no shows que fizéramos em 2004, nos estertores da nossa carreira com a Patrulha.

Não demorou muito e recebi seu telefonema solicitando-me dados pessoais para entrar com a documentação, visando a burocracia oficial para lançar um novo disco da Patrulha, o tão sonhado registro ao vivo que a banda e os fãs, sempre sonharam ter.

Ora, minha realidade era outra naquele instante de 2006, pois eu estava lançando um disco com outra banda, mas claro que fiquei contente com a notícia e mesmo antes de ouvi-lo e independente de seu resultado sonoro e produção de capa, fiquei "arrepiado" por ter um registro oficial ao vivo da nossa formação e possivelmente contendo músicas de todos os discos que gravamos, além de nossa interpretação peculiar do material pregresso e clássico da banda.

Apesar de póstumo, era algo vivo, e ao vivo, com o perdão do trocadilho infame.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário