sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 294 - Por Luiz Domingues


Mais matérias nesse período...

1) Modern Drummer Nº 22  
"Há 26 anos Rolando Castello Junior comanda a bateria da Patrulha do Espaço com competência e vontade de tocar. Neste CD, logo na primeira faixa, "Rock com Roll", Junior começa com uma batida precisa do bumbo fazendo o papel do metrônomo, e a levada da bateria já está pronta para conduzir a música. Nos espaços entre um verso dos vocais e um solo de guitarra, Junior coloca o seu entusiasmo para preencher o vazio e logo volta a apoiar o restante do álbum.

Ele pode determinar o caminho rítmico no início da música como em "Vou Rolar"; entrar junto com o segundo verso do vocal em "Tão Perto, Tão Distante"; reforçar a tônica dos versos em "Universo Conspirante", ou dar apoio como percussionista em "Quando a Paixão te Alcançar". Enfim, uma demonstração de que o Rock dá espaço para o baterista expor suas levadas com criatividade e evoluir dentro de cada música".

PC

Uma resenha baseada na performance do Junior como baterista e percussionista, pertinente portanto ao que se espera de uma revista especializada em bateria e percussão, caso da Modern Drummer. Gostei do enfoque, apesar de que numa lauda curta, o resenhista não tenha tido a chance de aprofundar-se. Cabia uma análise mais pormenorizada, mas tudo bem, achei bacana.

2) Cover Baixo Nº 24  

"Neste ano, a banda Patrulha do Espaço completa 27 anos de existência, o que em terras brasileiras é uma raridade para quem tem uma proposta de fazer um Rock'n Roll de ótima qualidade.

Lançado de forma independente, 'Missão na Área 13' vem firmar o nome da banda como uma das pioneiras do estilo no Brasil. Esse disco não difere muito dos outros trabalhos da banda. O que se ouve é o bom e velho Rock'n Roll, tocado por uma galera que entende do assunto.

O baixista Luiz Domingues, segura a onda da cozinha juntamente com o batera, Rolando Castello Junior, que juntos formam linhas bem coesas e precisas. 

Destaques para a pesada 'One Nighter', para a balada 'Tão Perto, Tão Distante' e para as roqueiras ' Vou Rolar' e 'Rock com Roll'.

O único senão ficou por conta da foto do encarte, em que os membros da banda e seus amigos aparecem fazendo caretas e gestos obscenos, totalmente desnecessários".

PC

Ao contrário do que se esperaria de uma resenha numa revista especializada em baixo e baixistas, o resenhista quase não citou o meu trabalho em específico nesse disco, fazendo um elogio bem discreto nesse quesito e mais centrando sua atenção no disco em si, numa linha de resenha mais ampla e não setorizada.

Sobre o que observou ao final da foto do encarte, concordo inteiramente com o ponto de vista dele e já havia comentado isso em capítulo anterior, ou seja, achei uma asneira que essa foto fosse a escolhida para figurar no encarte. E apesar de me eximir disso e na foto estar de braços cruzados em sinal de não aceitação dessa ideia idiota proposta na hora em se exibir o dedo médio, claro que a observação do jornalista me incomoda.

3) Revista da MTV Nº 39

"Grande banda que começou nos anos setenta e ainda continua na ativa fazendo um belo trabalho. O Rock'n Roll levanta voo em sons como "Vou Rolar", "Rock com Roll"; "Tão Perto , Tão Distante" / Tão Distante" e outras.

Como sempre, o bom jornalista Daniel Vaughan tinha espaço mínimo para escrever, diametralmente oposto à sua boa vontade em falar de bandas vintage como a nossa. Mais uma nota que uma resenha propriamente dita, mas super válida como força na divulgação.

Na mesma edição da revista, uma nota falando também do disco, e uma especulação em torno de um DVD oficial e quiçá, com participação do Arnaldo Baptista. Pura especulação, mas bacana para nós enquanto rumor a se espalhar.

4) Comando Rock Nº 7  

"Com mais de 25 anos de estrada, a Patrulha do Espaço é referência do Rock and Roll nacional. O novo trabalho mantém o nível dos antecessores.

'Rock com Roll' e 'Vou Rolar' são pura animação com batidas agitadas e refrães marcantes. Também há espaço para baladas - 'Trampolim' e 'Tão Perto / Tão Distante' - e outras mais virtuosas como as instrumentais 'Anjo do Sol' e 'For Loonies Only'. Esta última apresenta um técnico solo de bateria e percussão'.

ARJ

Bacana a resenha do rapaz, cujas iniciais não consigo decifrar de quem se trata. Sucinto, deu o seu recado com deferência à banda, pela sua trajetória completa, e também pelo novo disco em si.

Interessante citar "For Loonies Only", uma vinheta instrumental só de bateria e de fato, uma peça criativa e que poucos jornalistas citariam.
Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário