sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 288 - Por Luiz Domingues


Viajamos para o sul, com o objetivo de visitarmos de novo o estado de Santa Catarina, desta feita para apenas dois shows em duas cidades.

A primeira que visitaríamos era nossa velha conhecida, Concórdia, para mais uma apresentação no Tulipa Bar.

A viagem foi tranquila e sem incidentes com o ônibus, como houvera sido a última viagem ao sul quando a barra de direção do veículo havia quebrado dramaticamente sobre a travessia de uma ponte relativamente longa sobre um rio, quando passávamos pela cidade de Registro, ainda no estado de São Paulo.

Se por um lado o ônibus e seu desgaste costumeiro nos poupou de prejuízos e perigos na estrada, conduzindo-nos numa jornada tranquila, o clima na banda não era mais o mesmo.

Mesmo indo para dois shows onde tínhamos a certeza de que nos apresentaríamos para uma plateia super rocker, e que amaria os shows, já não estávamos mais no clima de euforia de outrora, infelizmente.

Essa seria de fato, a última viagem com o ônibus da banda, e pilotado pelo "Seu" Walter, pois a seguir teríamos apenas shows em São Paulo e o derradeiro dessa formação, se realizaria no interior de São Paulo, mas não o faríamos usando o ônibus e no momento oportuno comentarei sobre isso.

Nessa última viagem com o "azulão", além do "Seu" Walter na pilotagem, contamos também com a presença mais uma vez de Luiz "Barata" Cichetto exercendo função de "road manager" da banda, além dos roadies, Daniel "Kid"; Samuel Wagner e James Castello.

Chegamos em Concórdia com tranquilidade e no início de maio, o frio era ameno, mas já presente, para o nosso deleite, diga-se de passagem...

Nos hospedamos no mesmo hotel onde estávamos habituados a ficar, e o velho som do riacho aos fundos mais uma vez embalaria nosso repouso reconfortante.

Todo o trâmite de montagem de equipamento e soundcheck foi tranquilo e as donas do estabelecimento mais uma vez nos receberam muito bem.

Mas o show desta vez foi morno, pois não atraímos um grande público e o motivo determinante para tal, foi que o show que faríamos no dia seguinte, seria em Chapecó, de onde vinha sempre aquela turma animada de rockers para nos ver. 

Portanto, com a nossa visita à cidade deles, e pelo fato de que seria num festival de grande porte ao ar livre, abstiveram-se de organizar excursão para Concórdia, como costumavam fazer e assim, o show de Concórdia esvaziou-se, mesmo porque, rockers de várias outras cidades vizinhas, também estavam mobilizados para nos ver em Chapecó.
Rara foto do show no Tulipa Bar, em 7 de maio de 2004. Acervo de Liza Bueno

Além de tudo isso, uma das proprietárias do próprio Tulipa Bar nos disse que a sexta-feira era tradicionalmente mais fraca no seu estabelecimento e dessa forma, não esperavam nem um grande contingente de jovens burgueses locais e que seriam alheios ao nosso show.

Dito e feito, tivemos um baixo contingente na noite em questão, e mais serviu para um último ensaio, visto que o show de Chapecó prometia.

7 de maio de 2004, no Tulipa Bar, com cerca de 70 pessoas na casa, e assim foi a última passagem da Patrulha com essa formação por Concórdia-SC

Alguns rockers locais e que já conhecíamos desde a nossa primeira passagem por essa cidade, nos disseram que iriam à Chapecó nos ver tocar nesse grande festival, e assim, os convidamos para viajarem conosco no dia seguinte.

Marcamos de sair após o almoço e a distância entre as duas cidades eram bem pequena (cerca de 82 KM), portanto haveria de ser uma viagem tranquila e rápida. 

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário