quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 68 - Por Luiz Domingues


Fomos percebendo o clima tenso com os subordinados do produtor Marcelo, e não entendíamos tal comportamento, pois de nossa parte, não havíamos dado motivo algum para tal.

Demorou para percebermos que o clima se deteriorava a cada minuto, por conta das ações atrapalhadas e cheias de soberba descabida por parte de "R".
        O nosso roadie, Daniel "Kid", no camarim do Via Funchal

Quando percebemos que ninguém apareceria no camarim para nos chamar, tomamos a dianteira e começamos a colocar nosso equipamento no palco, para esperar a nossa vez de fazer o soundcheck.

Pelo cronograma do evento, a banda "Tropa de Choque" deveria passar o som, inicialmente, para depois o Salário Mínimo. A seguir viríamos nós, e por fim o Uriah Heep.

Bem, logo de cara, digo que esse cronograma estava errado. 

Independente de se tratar de uma banda internacional e consagrada, o Uriah Heep, por ser a atração principal (headliner), deveria passar primeiro, estabelecendo a ordem inversa, deixando a última banda, pronta para ser a primeira atração como "open act".

Mas, além do cronograma estar equivocado, o Pedra era a única banda presente no Via Funchal naquele instante, e quando os técnicos do equipamento de P.A. nos viram colocando nossas coisas na coxia imensa do teatro, pediram-nos para adiantar o soundcheck.

Num esforço colaborativo, instruímos nossos roadies a começarem a montagem rapidamente. De fato, não custava nada adiantar, e ganhar tempo, mas era um procedimento errado por uma questão de ordem que qualquer músico deveria saber, claro.

Quando já estávamos quase prontos para os primeiros passos da passagem de som, chegaram os membros do "Tropa de Choque" e um pequeno desconforto instaurou-se, com eles pensando que estávamos atropelando-os. 

Um membro dessa banda chegou a questionar o Rodrigo, cuja tecladeira era maior que a da tecladista deles, sobre o espaço cênico mínimo que teriam. Claro que não entendeu que estávamos só nos posicionando para o Soundcheck e nossos equipamentos não ficariam no palco, durante esse procedimento técnico, e o show deles, própria e evidentemente dito.
No palco do Via Funchal, momentos antes da realização do soundcheck

Fotos de Grace Lagôa

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário