quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 71 - Por Luiz Domingues


De volta ao camarim, tínhamos a certeza de que o som para o público seria perfeito, mas no palco, seria um caos absoluto. 

Além da má vontade dos técnicos, havia um clima de deboche e petulância por parte deles, muito grande. Tanto que o produtor do show, Marcelo, teve uma briga violenta com eles, pois flagrou um episódio desses, envolvendo o baixista da banda "Tropa de Choque", que houvera sido maltratado por esses energúmenos.

Mas, não era só isso que nos incomodava. O clima de abandono da produção para conosco, persistia.

Ninguém aparecia no camarim para nada, nem dar instruções sobre o cronograma do festival. A geladeira permanecia vazia, enquanto sabíamos que os camarins das outras bandas haviam recebido suprimentos fornecidos por patrocinadores.

A nossa única explicação para tal comportamento, era a presença histriônica do pseudo-empresário "R".

Vai saber o que o atabalhoado "R" falou para o produtor Marcelo e seus subordinados ?

E para piorar as coisas, o "nosso manager", havia se ausentado, usando a nossa van para suprir seus interesses pessoais e só voltou ao camarim, por volta das 20:00 h, com um lanche improvisado que mandamos comprar, pois se dependesse da produção, ficaríamos à mingua.

Então, uma garota que o produtor havia contratado para ser hostess do evento, finalmente apareceu e trouxe um pacote de pão de forma e porções de mussarela e presunto. Parecia constrangida e deu a entender que tal ação havia sido ordenada para atender a reivindicação de "R", e que certamente desagradara o produtor do show.
Bem, visto posteriormente, claro que dá para imaginar a cena, com o sujeito interpelando com arrogância o produtor do show e desagradando-o, num momento inoportuno, visto que Marcelo provavelmente estava com a cabeça cheia de problemas decorrentes da produção geral do evento.

Então, dá para entender, ao menos parcialmente, a maneira pela qual azedara a nossa relação com o produtor do evento, e o motivo pelo qual estávamos sendo segregados nos bastidores...

Um pouco antes de irmos ao palco para o nosso show, o "R" protagonizou uma cena constrangedora, porém hilária ! 

Reuniu-nos em volta dele e como um técnico de futebol na última preleção antes do time entrar em campo, e deu-nos"instruções" de última hora.

Segundo ele, se o som estivesse ruim, deveríamos parar de tocar e exigir uma melhor equalização. Um olhou para o outro e não precisou ninguém verbalizar nada. Nos sentimos no jardim da infância...

Era chegada a hora, enfim. Fomos ao palco para o nosso show... 

Foto de Grace Lagôa

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário