segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 88 - Por Luiz Domingues


O show do Parabelum foi muito agradável. 

Pude assistir alguns trechos da coxia, mas não inteiro, pois seríamos os próximos, e estávamos naquele momento, ocupados com os nossos preparativos, naturalmente.
Baterista; percussionista e cantor, Caio Inácio em ação com o Parabelum

Mas pelo pouco que vi, e sobretudo olhando a reação do público, o show estava agradando em cheio, apesar de ser uma estreia, literal, e haver uma grande quantidade de canções absolutamente inéditas, com exceção de algum material do Cézar, tanto do Terço, quanto de sua carreira solo, que naturalmente promoveu reações muito mais acaloradas da plateia, pelo fator reconhecimento.

Pelo fato do Marcião Gonçalves ser versátil, e o Cezar de Mercês, também, eles revezavam-se entre o baixo e a guitarra, com ambos tocando bem os dois instrumentos.

Comédia de Gaveta em ação na segunda sketch, enquanto o Pedra se ajustava (dá para ver Ivan arrumando sua bateria, mexendo no ajuste do seu surdo)

Findo o show do Parabelum, os atores e atrizes da trupe "Comédia de Gaveta" voltaram ao palco, invadindo-o performaticamente enquanto os componentes do Parabelum ainda se despediam do público.

Desta feita, a sketch não tinha o peso de uma evocação à Grécia antiga, mas tratava-se de uma situação de comédia contemporânea. 

A novidade de última hora, foi a inclusão do Marcião Gonçalves como participante.

   Marcião Gonçalves atuando na sketche do Comédia de Gaveta

Não tão repentino assim, pois o convite para participar já tinha surgido nos bastidores. O Marcião não é um ator propriamente dito, com técnica e estudo, mas por ter uma personalidade forte, ser extremamente desinibido e muito espirituoso, reunia condições de atuar com atores profissionais, amparado por eles, e sendo criativo, coisa comum para ele.

E não deu outra, sua atuação na base do improviso e sendo muito despachado, arrancou gargalhadas da plateia...

O tema do sketch era simples : um grupo de amigos se reúne na casa de um deles e conversam sobre música. Todos gostam de colecionar vinis antigos, e num dado instante, uma personagem senta-se acidentalmente sobre um vinil pirata e muito raro dos Beatles, e uma confusão generalizada se instaura, quase chegando ao pastelão desenfreado.

Muito simples, claro, e mais parecendo uma sketch de programa popular de humor da TV, mas o tempo que dispunham era mínimo, e essa sketch era programada para ser curta, propositalmente, para cobrir a lacuna entre os shows do Parabelum e Pedra, e devidos ajustes no "set up" do Pedra, que entraria em cena a seguir.

Funcionou, apesar de curto e simples, pois o público se divertiu muito com a trapalhada proposta, e dessa forma, nem percebeu o frenesi dos roadies para a troca de bandas.

E o Marcião Gonçalves brilhou mais uma vez, como comediante nato que é...
Hora do Pedra pisar no palco do Centro Cultural São Paulo...

Todas as fotos são de Grace Lagôa

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário