segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 227 - Por Luiz Domingues


Chegamos em Concórdia no horário previsto, e sem nenhum problema na estrada.

Nos dirigimos primeiramente ao apart-hotel onde nos hospedáramos por ocasião de nossa primeira visita àquela simpática cidade do oeste catarinense.

Aconchegante ao extremo, estávamos felizes por estarmos ali novamente ouvindo o reconfortante som natural do riacho que passava aos fundos, de onde uma sacada confortável nos dava tal visão e audição paradisíaca.

Após um rápido relax, fomos ao "Tulipa Bar", onde fomos recebidos com festa pelas donas do estabelecimento, sempre simpáticas e hospitaleiras.
Uma rara foto desse show no Tulipa Bar de Concórdia, do acervo de Liza Bueno, que aparece na foto à esquerda, e é componente da banda "Epopeia", de Chapecó

O soundcheck foi tranquilo, e ficamos contentes por ouvir a notícia de que a ultra animada turma de Rockers de Chapecó, reservara muitos ingressos, e chegaria em ônibus fretado. A noite seria quente e emocionante, certamente.

Com a mesma emoção e entusiasmo que nos receberam no show anterior, de junho, subimos ao palco e fizemos um Concerto de Rock à moda antiga, em toda sua pompa e circunstância.

Super animada, a turma de Chapecó delirou do começo ao fim, e uma novidade boa, havia um contingente bom de Rockers de Concórdia, e outras cidades vizinhas, também. Se da primeira vez a turma de Chapecó tornara o show sensacional em meio à uma certa frieza da juventude burguesa de Concórdia, que lotou o bar na primeira ocasião em que ali tocamos, desta feita, havia um bom reforço local, e o show ficou ainda mais quente.

Uma novidade de improviso, o Rodrigo propôs que tocássemos "Trem", uma música do primeiro disco da Patrulha com o Arnaldo Baptista, e que havíamos tocado em algumas apresentações semi acústicas, inclusive já citadas. Não estava 100 % ensaiada agora, mas saiu direitinho e com uma novidade, o nosso roadie Daniel "Kid" subiu ao palco para tocar violão conosco. Não era novidade para nós que ele era um bom guitarrista e baixista, e que costumava fazer os testes preliminares no soundcheck, acertando timbres de baixo e guitarras. Portanto, sua participação foi muito boa e o público, principalmente o de Chapecó, que era fanático pela Patrulha, conhecendo todos os discos, delirou com uma peça rara sendo executada ao vivo, e de forma muito inesperada.

Desta feita, o simpático casal Lucas e Gabriela não perdeu o ônibus fretado para a casa, conforme ocorrera no show de junho...e estavam eufóricos por ver a Patrulha novamente.

A casa estava super lotada, com cerca de 300 pessoas segundo nos informaram as proprietárias; era o dia 15 de novembro de 2002, uma sexta-feira, e mais uma página Rocker fora cumprida com galhardia pela tripulação dessa nave.

Próximo destino : Joaçaba !
Continua...  

Nenhum comentário:

Postar um comentário