quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 221 - Por Luiz Domingues



De volta ao "azulão", finalmente voltaríamos à estrada, e desta feita o objetivo era nos dirigirmos ao norte do Paraná, para uma nova apresentação em Londrina, cidade onde já havíamos tocado duas vezes : em 2000, e no início de 2002.

Por falar nessa última apresentação, em janeiro de 2002, o produtor de tal espetáculo, um rapaz dinâmico chamado Marcelo Domingues (já disse e repito, não tem parentesco comigo), havia nos prometido uma oportunidade melhor, visto que nos apresentáramos numa pequena casa noturna.

O show no Valentino Bar foi sensacional, como já contei em capítulo anterior, todavia, por ser um espaço de dimensões diminutas, apesar de ter abarrotado de gente para nos ver e ter sido um show sensacional, deixou-nos frustrado, pois ficáramos com a sensação de que se tivesse ocorrido em um lugar maior, teria comportado muito mais público.

Mas a oportunidade surgiu, e Marcelo nos convidou a participar de um festival que estava organizando, denominado "Demo Sul".
A ideia era boa : um palco de grande dimensão montado numa espécie de sítio afastado do centro da cidade, com infraestrutura boa para os artistas, e para o público, e com a presença de diversas bandas autorais novas, de vários estados e dois headliners consagrados, um em cada dia. Fomos o headliner em 12 de outubro de 2002, e no dia posterior, Os Inocentes fecharam a noite.

Chegamos cedo na cidade, visto que havíamos partido de São Paulo na noite do dia anterior. 

Ficamos hospedados num hotel próximo da tal chácara e pudemos dormir a manhã inteira com tranquilidade, refazendo as forças perdidas em mais de 500 KM que separam São Paulo de Londrina.

Fazia um calor muito forte, já antecipando os dias de verão, embora estivéssemos no início da primavera ainda. Após o almoço, fomos com toda a equipe ver a montagem do nosso backline e aguardar o soundcheck no local.

Enquanto esperávamos, havia um campo de futebol disponível e mediante uma bola que a produção nos proporcionou, fizemos um rápido "rachão" entre músicos e roadies.

Bem, o soundcheck foi tranquilo, apesar de ser um palco grande e contando com um P.A. de proporção para show em estádio de futebol, pois o técnico era competente, objetivo e solícito.

Agora era voltar para o hotel e aguardar a hora de voltar...


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário