quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 217 - Por Luiz Domingues



Voltamos para São Paulo, e nosso próximo compromisso seria só em duas semanas, mas o tratamos como uma importância extra, devido ao fato de ser uma micro temporada no Centro Cultural São Paulo, com três datas.  

 

O Junior traçou uma estratégia de encarar tal temporada como o fim da turnê dos discos "Chronophagia" e "Dossiê Volume 4", mais para ter um mote publicitário do que demarcar oficialmente, visto que só lançaríamos um novo álbum de fato, em março de 2003, portanto, por meses, ainda estaríamos sob a égide dos discos anteriores, fazendo muitos shows, e até mais micro turnês interioranas e interestaduais.

Voltou à tona também o assunto da mixagem do novo álbum, e com os lucros obtidos na última turnê pelo sul, estava viabilizada enfim tal produção, mas só fomos tratar do assunto após a realização da temporada no Centro Cultural São Paulo.

Então, nossos esforços nessas duas semanas que tivemos sem shows, foram no sentido de sua divulgação, e quem colocava a mão na massa mesmo, nesse sentido, era eu, colocando meu carro à disposição para cruzar a cidade inteira e muitas vezes indo para cidades vizinhas da Grande São Paulo, também, em uma corrida frenética e extremamente onerosa, pois a gasolina gasta era absurda.

Gastava dias numa campanha dessas e mediante a ajuda do roadie Samuel Wagner que colocava os cartazes nos lugares efetivamente, rodávamos juntos centenas de KM's, enfrentando calor, frio e chuva nessas ações ultra cansativas.

Mas apesar do caráter arcaico de tal empreitada, eu gostava da sensação de dever cumprido, espalhando o nome da minha banda  pela cidade toda.

Claro, numa capital do tamanho de São Paulo e ainda por cima atingindo municípios vizinhos da Grande SP, para cobrir mesmo tudo, eu precisava de pelo menos dez equipes montadas e com pelo menos três auxiliares em cada carro, mas na escassez de recursos para contratar equipes profissionais acostumadas à esse tipo de divulgação, trabalhava sozinho e com um auxiliar apenas e digo, mesmo não cobrindo nem 10% do que eu gostaria, era um volume absurdo de cartazes colocados em estabelecimentos que tinham perfil compatível de pessoas circulando e interessadas em nós.

Só na famosa Galeria do Rock, do centro de São Paulo, houve época em que haviam mais de 200 lojas de discos reunidas, só para o leitor não acostumado à dimensão da cidade de São Paulo, ter uma noção.

Portanto, cobrir a cidade inteira e nossa proposta era de buscar amplitude, não colocando cartazes apenas em lojas de discos, tratava-se de um trabalho hercúleo.

O Junior e a Claudia centravam seus esforços na parte burocrática e o CCSP, assim como o Sesc, costumava exagerar em demasia na exigência de documentos, dando trabalho correndo para lá e para cá, para deixar tudo em ordem.

E a colaboração do Rodrigo era positiva, também, mas de cunho secreto. Como jornalista formado e tendo muitos colegas da faculdade atuando na mídia, tinha seus contatos e usando o expediente de um pseudônimo, abordava diversos órgãos de imprensa se apresentando como assessor de imprensa da banda e cavando matérias. Graças aos seus esforços, muito do material que a banda obteve em termos de mídia escrita, foi seu mérito.

Infelizmente, dois dias antes da estreia, fiquei fortemente gripado. Até aí, gripe é super chato de se lidar, mas não impede que se trabalhe, pensei.

Mas desta vez passou da conta e na véspera, eu estava prostrado, com febre alta e uma indisposição inacreditável.

Passei a informação aos companheiros que se prontificaram a suprir minha ausência na produção do dia e toda a logística de transporte e arrumação do equipamento ficou a cargo deles e dos roadies.

Quem me conhece pessoalmente sabe que não suporto ficar alheio à esse trabalho, inclusive o trabalho braçal, portanto, foi frustrante para mim não ajudar.

Eu só teria que fazer o soundcheck e o show, o que era frustrante ao extremo para mim, acostumado a ser bem atuante nos bastidores, mas...paciência...

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário