domingo, 22 de novembro de 2015

Autobiografia na Música - Kim Kehl & Os Kurandeiros - Capítulo 25 - Por Luiz Domingues


Com uma produção muito simples, mal acabou de acertar o som mais ou menos, e o Edvaldo já começou o seu show, pois o público já estava se acomodando no salão envidraçado.

O segredo ali era tocar num volume bem baixo no palco, pois o P.A. era fraco e a reverberação do ambiente, enorme, não só pela parede envidraçada, mas também pela sua arquitetura sinuosa, nada adequada para uma sonorização de espetáculo musical.
Fachada de fora da galeria de vidro pertencente ao complexo cultural da Galeria Olido, e nessa foto, com uma performance de um grupo teatral

Naquele ambiente, fazer show intimista de voz e violão seria o máximo possível para se garantir uma qualidade razoável de audição ao público, mas por outro lado, era notável o esforço do Calanca para manter vivo o evento, com uma periodicidade semanal, levando bandas de Rock autorais. Portanto, se não era o local, e o equipamento ideais, a boa vontade em disponibilizar um espaço para artistas sofridos como nós, era louvável.

Resignado com a situação e as condições, é claro que relevei tudo, e após confraternizar-me com o Luiz Calanca, sentei-me e assisti com bastante interesse o show do Edvaldo Santana.

O Carlinhos Machado já havia me dito que o som dele era legal, e eu pude comprovar isso ao longo de seu show de choque, de pouco mais de 30 minutos de duração. 

De fato, um som bastante interessante, mesclando-se á MPB setentista, com Blues; baladas, e um leve sabor Rock'n Roll para arrematar. Suas letras eram bastante espirituosas, lembrando artistas da MPB setentistas com um pé no Folk, e o outro no movimento Hippie, e de certa forma lembrou-me artistas do underground que eu curtia nos anos setenta, tais como Bendengó; Flying Banana; Papa Poluição, e outros.

Saindo de cena bem rapidinho, pois tinha outro show a cumprir na mesma noite, abriu espaço para os Kurandeiros de Kim Kehl entrarem em cena.

Nessa noite, teríamos o reforço do tecladista/gaitista e cantor, Claudio Veiga, popular "Cazão".

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário