sábado, 14 de novembro de 2015

Autobiografia na Música - Kim Kehl & Os Kurandeiros - Capítulo 22 - Por Luiz Domingues



Passada essa aventura ao ar livre, e com as peculiaridades naturais que eventos assim produzem para o bem e para o mal (geralmente mais para o mal pela bagunça inevitável da produção), voltamos à rotina de casas noturnas e como de costume, o Magnólia Villa Bar era sempre uma espécie de volta para a casa, como um porto seguro.

Com o acréscimo do tecladista Claudio Veiga, mais uma vez como convidado, tocamos na noite fria de 5 de junho de 2013.

Repetimos a dose em 3 de julho de 2013, também com a presença do tecladista Claudio Veiga que mostrava-se também versátil ao tocar gaita com desenvoltura e ser um bom vocalista, inclusive por conta disso, o Kim abriu-lhe a oportunidade de cantar algumas canções na noite.


http://www.youtube.com/watch?v=6donxQs9Z00


Com a presença do tecladista/gaitista e vocalista, Claudio Veiga.


Mais um show realizamos no Magnólia Villa Bar, em 7 de agosto de 2013, mas desta feita sem a presença do tecladista Claudio Veiga.
A presença do baterista da banda "Vento Motivo", Binho, substituindo o nosso titular, Carlinhos Machado

No dia 14 de agosto, tocamos nessa casa de novo, mas com uma novidade ocasional. O nosso baterista Carlinhos Machado, tinha compromisso com Gerson Conrad & Trupi, e dessa forma, tocou conosco um baterista chamado "Binho". Ele é baterista da banda "Vento Motivo", que realiza trabalho autoral e onde o Kim também participava nessa época.

Extremamente simpático e solícito, tocou com versatilidade e mesmo não conhecendo o repertório em 90%do caso, atuou muito bem. Foi uma noite onde além de baixista atuei como "maestro'", pois passei a apresentação inteira lhe dando toques, mas valeu a pena, pois ele é muito gente boa e nos divertimos nesse esforço de cooperação.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário