domingo, 15 de novembro de 2015

Autobiografia na Música - Ciro Pessoa & Nu Descendo a Escada - Capítulo 25 - Por Luiz Domingues


O show começou com energia, com músicas pesadas, Rocks absolutamente crus, beirando o punk, como "Days.e", de seu álbum solo, "No Meio da Chuva eu Grito Help", por exemplo.

O público respondia bem, mas à medida que o show foi caminhando para a metade, a energia foi baixando, pois os fãs mais fieis queriam ouvir mais material do Cabine C e Titãs, bandas Pós-Punk em que o Ciro foi membro, naturalmente, e pelo que percebi, não conheciam com profundidade as músicas de seus CD's solo.

Mesmo assim, tivemos momentos muito legais, como em "Até os Anos 70", "Mulher Ampulheta", "Praia de Marfim", "As Formigas estão Vendo Tudo" etc.

O fato, é que aquele estava sendo o nosso primeiro show perante uma multidão, e amparados por um equipamento de som e luz bacana, com pressão de show, visto que os dois que havíamos feito em 2011, tinham ocorrido em casas noturnas muito aquém das condições adequadas.

E a despeito de termos perdido o apoio de voz da Luciana Andrade, uma cantora sensacional, o show em São Carlos não foi tão psicodélico como os anteriores, mas muito mais Rock'n Roll, com movimentação de palco e mise en scene, aproveitando o fato de ser um palco com tamanho mais avantajado e a óbvia presença de iluminação, o que torna tudo melhor para o artista.

Mas houve um momento que reputo ter sido mágico nesse show !!

"Days' e" no show de São Carlos :
Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=j9RB3BPX01w

Por conta de estarmos numa plataforma da estação ferroviária local, e pelo fato dos trens não interromperem a sua passagem, visto que eram trens de carga, e não parariam para apanhar ou deixar passageiros, durante todo o período da tarde e a noite, eles passavam solenemente e fazendo um barulho incrível.

"As Formigas estão Vendo Tudo" no show de São Carlos :
Eis o Link para assistir no You Tube :
https://www.youtube.com/watch?v=10gocX6Q8Jw

Enquanto esperávamos a nossa vez de tocar, com as bandas de abertura se apresentando, não me lembro de ter passado um trem daquele porte, mas quando estávamos quase encerrando o nosso show, um se aproximou.

Mesmo com a pressão do P.A., sentimos a vibração do enorme trem, através do ruído que progressivamente foi aumentando nos trilhos. 

Estávamos tocando "Planos", que é uma canção fortemente influenciada pelo Pink Floyd, e o trecho que tocávamos quando da aproximação do trem, é épico, evocando as melhores tradições de Gilmour/Waters/Wright/Mason/Barrett, e o público foi entrando na hipnose proposta pelo looping harmônico da canção, e também percebendo que o trem se aproximava, gerou um momento de catarse coletiva incrível.

Lembro-me que eu e o Ciro nesse momento, entramos numa sincronia de movimentos e no meu caso, mesmo tendo que tocar simultaneamente, consegui soltar os braços também, nos intervalos entre as notas e parecia que estávamos flutuando com a música.

O maquinista do trem, talvez percebendo o som e as luzes na plataforma, tratou de apitar. Talvez por medo de que alguém pudesse cair nos trilhos, visto haver uma multidão na plataforma e desatentos pelo show alguém poderia acidentar-se. Mas não descarto também a hipótese de que apenas quis brincar, ou mesmo atrapalhar, pois o volume do apito era absolutamente ensurdecedor.

Quando o trem estava muito perto, tudo vibrou. Dava para dar medo, pois parecia um furacão se aproximando, o que tornou a dramaticidade da música, espetacular.

Confesso que emocionei-me. Aquilo, se fosse um efeito de show, teria emocionado o público, mas nós estaríamos esperando e sabendo ser algo artificial, mas o fato de ter sido absolutamente espontâneo, foi muito mágico.

Quando a locomotiva enfim passou por nós, o público urrou e aquilo foi delirante, mesmo.

Naquela altura dos acontecimentos, eu já tinha 36 anos de carreira, e há mais de um ano, já estava escrevendo esta autobiografia na antiga plataforma da extinta Rede Social, Orkut. 

Mas reputo esse acontecimento, como um dos mais bonitos de todos os tempos na minha trajetória musical, e vou guardá-lo na memória, com muito carinho.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário