quarta-feira, 25 de março de 2015

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 242 - Por Luiz Domingues


Uma exposição bacana nos foi proporcionada quando recebemos o inusitado convite para uma entrevista numa revista de alcance popular. 

Estávamos habituados a sermos publicados em revistas especializadas de música, e Rock em específico, mas uma publicação fora desse mundo era uma novidade (e muito bem vinda por sinal), pois tratava-se de uma oportunidade para expandir nossos horizontes.

Era a revista "Amiga TV Tudo", especializada em assuntos de TV, fofocas de artistas desse mundo, novelas etc etc. Claro que não era o "nosso" mundo, mas o simples fato de termos sido abordados espontaneamente pela produção da revista, foi comemorado, pois denotava um crescimento. 


Se recebemos tal convite, realmente era um indicativo de que estávamos começando a desgarrar do mundo fechado do underground, e chamando a atenção da mídia mainstream, ainda que nesse caso, o público alvo desse tipo de publicação, era totalmente insólito para uma banda com a sonoridade e propósitos da Chave do Sol.

Enfim, topamos fazer a entrevista que foi realizada na residência do Rubens, numa tarde de um dia útil, e a matéria foi publicada no nº 816, com direito à uma foto promocional daquela sessão equivocada, mas este click ao menos, estava mais razoável.

Eis a transcrição da matéria :

"A Chave do Sol só nos Baratos (primeiro LP anima grupo)


Há três anos surgia em São Paulo  um grupo que se definia eclético, misturando Rock, Jazz e Heavy-Metal. Formado por Rubens (22 anos, Guitarra), Luiz Domingues (25 anos, Baixo), Zé Luis (24 anos, Bateria) e Fran (vocalista), A Chave do Sol resolveu mostrar que é possível fazer uma música no estilo metaleiro com muita criatividade e qualidade. Dispostos a conquistar seu espaço, o grupo lança seu primeiro LP pela Gravadora Baratos Afins.

A banda existe desde 82 e ano passado gravou um  compacto simples cuja faixa principal é a canção "18 Horas", que foi bastante executada pelas rádios paulistas, na maioria alternativas.

Depois de algumas modificações, os rapazes do A Chave do Sol afirmam que o grupo agora está perfeito. Inspirados no Jazz e Rock dos anos 60, eles partem com uma proposta diferente : criar um som voltado e preocupado com a parte técnica e combinação de metais, ou seja, criatividade.

Segundo Rubens, a intenção da banda é acabar com aquela ideia de que Heavy Metal é apenas uma música barulhenta".

Solange Guarino

Bem, a moça foi extremamente simpática conosco, mas cometeu deslizes na edição do papo que tivemos, e de nada adiantou a gravação da conversa num gravador, e suas anotações de apoio, pelo visto...

Por exemplo, já começou com o subtítulo da matéria. Dou o desconto que a história do EP gerou muita confusão na mídia, conforme já venho relatando, mas afirmar logo de cara que estávamos lançando um "LP", já foi demais (em se considerando que recebera release oficial da gravadora como material de suporte, e tinha à sua disposição, toda a conversa gravada conosco, além de que nenhum de nós quatro falou se tratar de um LP, logicamente)...

Outra observação que faço, não é uma queixa, mas uma constatação : incrível como nesse ramo de jornalismo especializado em TV, existe a tola preocupação em definir a idade das pessoas. 


Qual a relevância em determinar a idade de cada um de nós ?
 

E admitindo que isso era uma praxe nesse tipo de mídia focada no mundo da TV, esqueceram-se de definir a idade do Fran...

Outro ponto interessante, em dado instante, ela embaralhou a conversa, pois afirmou que usávamos "metais" nas nossas músicas, certamente se confundindo com toda aquela baboseira de "metaleiros".

Enfim, a boa intenção dela foi ótima, e a despeito dessas falhas, ficamos contentes por sairmos publicados numa revista popular, e tendo assim, a oportunidade de atingir um público mais amplo e diferente.



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário