terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Carta à Amiga - Por Marcelino Rodriguez



Verdade, Tany, que ainda que o domingo estivesse nublado, ameaçando cair chuva sobre a minha solidão civil, eu gostaria de estar contigo talvez, falando coisas sobre a maneira como as gaivotas pousam de leve na superfície das ondas do mar...
 

Como andam, aliás, suas esperanças ?  

Aqui eu tenho trabalhado com as duas mãos para manter-me, impávido, dispondo somente de um rádio relógio que conta meus dias, a cama para dormir e as vozes que chegam-me do deserto dos computadores, entre as quais a sua, amiga.
 

Te contei que Mariana Brazil mandou-me seu excelente livro "Entre Fronteiras", que fala do sofrimento e da luta de meninas latino-americanas no mundo da prostituição, da Itália ? 

Ou que tem sido boa para mim a amizade do autor do blog cosmopolita ? 

E que a viúva do Taiguara, escritora e índia, mandou-me um cheiro da mata ? 

Que fiquei alheio a política, porque acredito que sem educação nada é viável ? 

Que dedicar-me ao espírito e a arte é toda crença que me resta, depois de Bagdá destruída ?  

Sim, amiga. Te digo que sou grato pelos poemas de Neruda que vez ou outra descubro contigo...
 

Não sei como passa contigo a inspiração, mas te queria falar desde ontem, essas coisa borbulhando dentro de mim ! Meu quarto tem sido todo meu universo solitário dentro da literatura.
 

A sorte são que as asas, o sangue e a mitologia, que te digo pois que Deus misturou minha vida com a dos anjos.
 

No mais, espero em breve tomar um café expresso numa livraria qualquer contigo para falarmos, entre outras coisas, desses nossos tempos virtuais. 



Marcelino Rodriguez é colunista fixo do Blog Luiz Domingues 2.
Escritor de vasta e consagrada obra, aqui nos traz uma crônica curta, leve e saborosa, extraída de seu livro, "Bom Dia Espanha".

2 comentários:

  1. Eu tenho esse livro e o acho fantástico. Esse texto me passa a vontade que temos de encontrar um amigo(a) e contar-lhe coisas corriqueiras, sentimentos guardados, sem críticas ou conselhos, apenas falar e ouvir apreciando um bom café!

    Nesses últimos tempos ouvimos muito sobre política e partidos e como o Marcelino diz: "Que fiquei alheio a política, porque acredito que sem educação nada é viável", essa frase é tudo!!! Partido não é inteiro, precisamos de união!
    Abraços queridos pensadores!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito legal que tenha lido e apreciado. O fato de possuir o livro do Marcelino, lhe deu mais elementos ainda para mergulhar na sua crônica cheia de estilo.

      De fato, é pilar da obra dele, o fomento à educação & cultura, principalmente insistindo na necessidade das autoridades educacionais criarem programas concretos de apoio à leitura.

      Sem educação, não avançamos nem um milímetro, é fato...

      Grato por ler e comentar !

      Excluir