domingo, 5 de outubro de 2014

Autobiografia na Música - Sidharta - Capítulo 18 - Por Luiz Domingues

 

Eu não tinha uma música predileta. 

Cada uma tinha o seu encanto, mesmo as que eu não tinha nenhuma participação como compositor ou letrista. Sentia que cada música era um filho nascendo desse projeto tão bonito.

Lembro-me que cada uma tinha as suas particularidades e todas tinham ligação com o espírito do projeto. Por exemplo, "Retomada" me lembrava o Rock brasileiro dos anos setenta. Lembrava demais O Peso; Bixo da Seda, A Bolha... 


"Céu Elétrico"era folk sessentista/psicodélico e lembrava-me Donovan; Procol Harum, Jethro Tull.

"Nave Ave" era Traffic puro, com aquela linda introdução de acordes que o Marcello criou, e no fim, ficava épica, parecia prog, tipo Focus. 

                     Martha, my Dear, Don't forget me...


"Abstrato Concreto" e "Sr. Barisnky" eram "canções Beatle". Podiam estar no Sgt° Peppers, ou White Album...

"Ser" era uma paulada que remetia ao Grand Funk dos primeiros trabalhos, o mítico LP da "capa vermelha", Closer to Home... 


"Tudo vai Mudar" e "Sistema Solar" eram Southern Rocks na pegada dos Allman Brothers...

"Sonhos Siderais"me lembrava o King Crimson na primeira parte, e no final da música, lembrava demais o Yes.

E assim por diante. Cada referência dessas me enchiam de motivação e alegria por estar retomando o meu plano primordial de carreira.

E o que me motivava ainda mais, era saber que os dois garotos vibravam nessa mesma onda, pois apesar de não terem vivido essa época, tinham essa cultura toda, sabiam de onde vinham as ideias e curtiam soar assim, fora a questão da temática das letras, o visual que queríamos implantar, e a produção de estúdio onde queríamos seguir os passos de artistas de complexidade retrô como Black Crowes, Lenny Kravitz e outros, que se esmeravam para ter essa sonoridade vintage em seus discos.

E já pensávamos nessa possibilidade de começar a gravar. Tanto é assim, que marcamos para gravar uma demo ao vivo no estúdio de ensaio, para começarmos a ver como as músicas estavam soando nesses primeiros esforços de nossa parte.



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário