domingo, 5 de outubro de 2014

Autobiografia na Música - Sala de Aulas - Capítulo 26 - Por Luiz Domingues


Logo no início de 1990, minhas aulas ganharam portanto um ar diferente, marcando a sua segunda fase. 

Eu costumo dividir a minha relação como professor em quatro fases, da seguinte forma : 

1) 1987/1989 -  A Estrela que se apagou (decadência e fim da Chave do Sol) 

2) 1990/1991 -  Tateando no Escuro (em busca de um trabalho) 

3) 1992/1997 - Sob o Luar (anos Pitbulls on Crack) 

4) 1997/1999 - Embarcando na nave lisérgica (Sidharta-Patrulha do Espaço) 

Portanto, estava encerrada a fase 1, onde eu tinha uma banda e deixei de ter, entrando numa obscura fase de relacionar-me com novos trabalhos, e pior ainda, não achar efetivamente um espaço confortável, e que me desse reais perspectivas. 

Contudo, apesar de ser uma fase sombria por esse aspecto, era também de estabilidade financeira por conta do suporte que as aulas me davam.

Nos cinco primeiros meses de 1990, não ocorreram grandes novidades em minhas aulas, a não ser a partir de maio, onde tive que mudar-me de endereço, e esse transtorno sempre era invasivo no andamento da minha rotina, não só pelos preparativos de antes e depois da mudança de residência, mas principalmente pelo fato de ir morar num outro apartamento, e este, ao contrário do que eu estava morando, muito menos estratégico em termos de localização e transportes públicos. 

Com isso, temia perder alunos, talvez desmotivados pelo fato do meu novo local de aulas ficar cerca de oito quarteirões da estação de Metrô mais próxima, e com muito menos linhas de ônibus disponíveis. Isso era um fato, mas não havia outra alternativa. 


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário