quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 74 - Por Luiz Domingues

 Pelas Ruas da Cidade...

O esforço de divulgação foi ainda maior para esse show do Teatro Dias Gomes. A ideia era lotar a casa, para o seu dono animar-se, e daí o Teatro ser doravante, um point para artistas autorais, coisa rara no início dos anos 2000, e que ansiávamos resgatar.

Portanto, o sucesso dessa empreitada, seria fundamental para servir de argumento nessa pretensão que tínhamos.

Fizemos um cartaz extremamente criativo. Na verdade, foi um cartaz adaptado de um que já existia há décadas, mas que estilizamos para promover o show das duas bandas. 


Era o cartaz clássico da Revolução Constitucionalista de 1932, com a figura de um soldado convidando os homens paulistas a engajarem-se na força armada revolucionária. Com o slogan clássico, "Paulistas, às armas", usado como palavra de ordem etc.

Logicamente o adaptamos e a convocação seria para o publico rocker cumprir o seu dever "cívico" ou "Rocker" etc etc. 


Nosso esforço foi enorme para os espalharmos nos quatro cantos da cidade, todas as cidades do ABC e Osasco. Só não fui à Guarulhos e demais outras cidades da grande SP, por falta de tempo, mas lembro-me de ter rodado mais de 500 km, sem duvida.

Outro fator que apareceu nesse processo de divulgação e nos preocupou, foi quando descobrimos que vários cartazes nossos estavam sendo vandalizados, e muitos deles, tinham inscrições de suásticas desenhadas por cima.

O que significaria ? 


Alguém estaria ofendido com o uso do cartaz inspirado na Revolução de 1932 ? Seriam pessoas com tendências pró-nazistas ou pelo contrário, anti-nazistas nos interpretando mal ?

Nunca descobrimos, pois nada de anormal ocorreu durante o show, ou mesmo depois do público deixar o Teatro. Mas tal manifestação, ocorrida às vésperas, chamou-nos a atenção e ficamos preocupados, logicamente.
 

Estávamos focados em shows, mas resenhas do álbum Chronophagia ainda repercutiam. Aqui, na Revista "Batera e Percussão", logicamente que enalteceram a performance do Junior no disco, e modéstia à parte, tinha mesmo que enaltecer seu trabalho...



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário