quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 77 - Por Luiz Domingues


O público lotou as dependências do Teatro Dias Gomes e apesar dos problemas de som que o Golpe de Estado enfrentou, gostou muito da performance de Hélcio Aguirra; Paulo Zinner & Nelson Brito, e mesmo reticentes com a entrada do novo vocalista, Kiko Müller, aplaudiram e curtiram bastante a performance da banda.

Chegou a nossa vez... 


Logo na primeira música, "Não Tenha Medo", uma microfonia de frequência grave, nos perturbou muito. O Junior não teve dúvida e mesmo criando o anticlímax, parou e pediu ao técnico para detectar e eliminar essa frequência desequilibradora.

Sei que é chato, constrangedor mesmo, mas ainda assim é preferível a prosseguir o show em condições técnicas insuportáveis, que só prejudicariam ainda mais a banda.

Teatro Dias Gomes, 10 de fevereiro de 2001. Foto do acervo pessoal de Salvatore D"Angelo 

Feito isso, prosseguimos com "Festa do Rock"; "Ser", e demais canções do Set List.

O show foi muito bom, com uma boa resposta do público. 

No mesmo dia no Teatro Dias Gomes, tendo canja especial do saudoso Hélcio Aguirra, guitarrista do Golpe de Estado. Foto do acervo pessoal de Salvatore D"Angelo

A luz funcionou muito bem com a condução do Wagner Molina, que é um mestre da iluminação. O som deixou a desejar com a precariedade do P.A. inadequado, mesmo com algum reforço vindo de fora, mas sobretudo por conta da operação fraca do rapaz que o Golpe de Estado trouxe.
Outra foto com o grande Hélcio Aguirra abrilhantando nosso show como convidado especial no Teatro Dias Gomes. Foto do acervo pessoal de Salvatore D'Angelo

Era o dia 10 de fevereiro de 2001, e 350 pessoas nos assistiram no Teatro Dias Gomes, ex-Cine Capri.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário