quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 181 - Por Luiz Domingues


Com os agitos da pré-produção em curso, estávamos animados com a perspectiva de gravar um novo álbum, e certamente que estávamos apostando muito nesse segundo trabalho, por todos os motivos que já expus nesta fase da cronologia dos fatos.

Mas paralelamente, ainda vivíamos os ecos da boa onda de expansão proporcionada pelo primeiro disco, e claro que aproveitávamos cada gota que pudéssemos.

Nesses termos, o próximo compromisso que tínhamos agendado, era uma nova participação no evento "Praça do Rock", que por sua vez, crescia, e a cada nova edição, atraía mais público e infraestrutura.

Foto do Zé Luis em ação na nossa primeira participação no evento "Praça do Rock", em agosto de 1984

E por estar crescendo, atraía também pessoas interessadas em capitalizar o sucesso do evento, seja economicamente, seja pelo viés político.

Lembro-me de ter participado, por exemplo, de uma reunião na sede do Jornal do Cambuci & Aclimação, o simpático jornal desses dois bairros vizinhos, que apoiava o evento, visando tomar ciência das questões envolvendo a nossa participação. 

Essa foto minha também é da nossa primeira participação na Praça do Rock em agosto de 1984. Infelizmente, não tenho em meu acervo, fotos da segunda participação da Chave do Sol, em fevereiro de 1985.

Mas apesar da boa vontade das pessoas envolvidas, alguns deslizes eram inevitáveis, e nesse dia em específico, apareceu um deputado na reunião, que quis capitalizar politicamente o movimento, e o evento.

Chegou até a protagonizar um momento patético na reunião, ao subir, literalmente, na mesa, e improvisar um discurso inflamado, onde falava que as bandas de Heavy-Metal precisavam se unir para pleitear melhores oportunidades do poder público etc etc.

Foi muito constrangedor, primeiro porque eu me sentia um estranho no ninho nessa história de bandas de "Heavy-metal", e segundo, por estar vendo a manipulação política infiltrar-se num evento que crescia, minando-o. 


Então, participamos do evento, no dia 24 de fevereiro de 1985. A estimativa da Polícia Militar, contabilizou cerca de 3000 pessoas naquela tarde/noite.

Participaram também : "Centúrias", "Abutre" e "Gozo Metal", como outras atrações daquela edição.

Nosso show foi energético e arrancou muitos aplausos da plateia, em sua maioria, garotos e fãs de Heavy-Metal. Nesse aspecto, o Fran agradou em cheio a esse tipo de público, onde uma grande parcela o conhecia por sua atuação com sua banda anterior, o "Ano Luz".

O "Gozo Metal" era na verdade o "Côco Loco" com outro nome, banda liderada pelo baixista Orlando Lui (ex-Rock da Mortalha, nos anos 70), e apesar do nome muito infeliz (aliás, ambos os nomes eram horríveis), para uma banda de Rock, tinha em seu líder, um grande batalhador.

Ligando-se pessoalmente ao organizador oficial do evento, o baixista Dalam Junior, tornou-se um co-produtor associado, e daí em diante, trabalhou forte para tornar o evento, cada vez maior. Falo disso mais para frente, quando de uma terceira participação da Chave do Sol no evento.

E nem só em constrangimentos a reunião na sede do jornal foi pródiga. Pelo contrário, nesse mesmo dia, conhecemos outro personagem que prometia ser importante para o métier do Rock pesado paulistano.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário