quarta-feira, 16 de julho de 2014

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 135 - Por Luiz Domingues


Em meio à adaptação do vocalista Chico Dias conosco, muitas coisas aconteciam paralelamente, conforme já alertei anteriormente.

Passados os dois shows de lançamento oficial do compacto, tínhamos perspectivas de divulgação nas rádios e TV's. 

Começavam a pipocar também, as primeiras resenhas do disco, na imprensa escrita. 

A primeira resenha que muito nos animou, foi na Revista Roll, que era naquele momento de 1984, a principal revista de Rock & Pop do país.

Super calorosa, nos elogiou e cotou bem o lançamento. 


Essa primeira resenha numa revista de porte nacional, além de nos orgulhar, abriu portas, pois dali em diante, passamos a frequentar as páginas de outras revistas, além de voltarmos à Roll, muitas vezes.

Assim como as aparições no programa "A Fábrica do Som", foram importantes para nos colocar na linha de frente para "brigar" por um lugar no mercado, quase na mesma proporção, aparecer nas páginas de revistas como a Roll, tinham o mesmo efeito. 


Disse "quase", pois o peso da TV é muito maior como difusor de imagem, em relação à imprensa escrita, obviamente.

Essa resenha foi publicada na edição de agosto de 1984, em seu número 9.


Tirante notas de shows e uma micro entrevista concedida ao jornal "Folha da Tarde", ainda em 1982,  essa resenha da revista Roll, foi sem dúvida a melhor peça de portfólio que conseguimos, do início da banda, até esse momento de julho/agosto de 1984. 

Coisas melhores viriam na imprensa escrita doravante, mas essa resenha foi realmente a primeira importante, e com visibilidade num órgão focado no mundo do Rock, e música em geral.

Eis a reprodução do que publicaram a nosso respeito :

"O Compacto de estreia do grupo paulista, A Chave do Sol, produção independente de Baratos Afins, mostra que ainda é possível fazer um bom Rock, sem grandes inovações, , desde que o trabalho seja realizado por músicos talentosos.

E, é exatamente este o caso do grupo A Chave do Sol.

No lado A do compacto simples, eles tocam um rockão. com uma ótima presença da guitarra de Rubens Gióia e pelo belo apoio vocal de Soraia e Rosana.

A música, intitulada  "Luz", possui uma grande espontaneidade, além daquele clima bem swingado, característico do legítimo Rock.

No lado B, a faixa "18 Horas", um tema instrumental, tipo jam-session, onde os músicos mostram todo o seu virtuosismo. A excelente linha de baixo de Luiz Domingues, as viradas do baterista Zé Luis e a perfeita levada do guitarrista Rubens, se complementam, formando um som compacto e uniforme, sem maiores pretensões.

Para um grupo estreante no vinil e com a proposta de fazer um som que reúna um pouco do blues, do Rock, do progressivo e do Hard-Rock, o Chave do Sol pode ser saudado como uma grata revelação e, no mais, é torcer, para que em breve, eles possam mostrar todo o seu potencial num LP.

Obs. : o compacto do Chave do Sol só se encontra à venda na loja Baratos Afins, em São Paulo".




Continua...
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário