segunda-feira, 21 de julho de 2014

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 149 - Por Luiz Domingues



O telefonema atordoou-me : uma mudança repentina de planos da família do Zé Luis, e agora, haviam resolvido passar o fim do feriado na casa de Itapecerica da Serra. O casal tinha que deixar a residência imediatamente, e arrumar onde ficar nos próximos dois dias.

Alguma sugestão ??

A única ideia que surgiu, era a vaga lembrança de que o Hélio, aquele garoto que era aspirante a roadie da Chave do Sol, havia mencionado que sua casa estaria disponível, pois seus pais e irmãs haviam viajado ao litoral, e ele estava sozinho no sobrado.

Minha ligação com ele era tênue, pois o conhecera há pouco tempo, e pelo fato de eu ter namorado muito rapidamente, uma de suas irmãs, chamada Débora. 


Ele empolgou-se em ser "meu cunhado" e embrenhar-se assim no mundo do Rock, que era o seu sonho. Até aí, tudo bem, dei-lhe essa oportunidade, mas o meu namoro com a irmã dele foi curto, não deu "liga"e portanto, não achava que tinha toda essa liberdade para pedir um favor desses, mesmo sendo um oferecimento dele.

Por outro lado, ele também havia estabelecido amizade com o Chico Dias, e estava solidário ao fato do gaúcho estar sofrendo para adaptar-se à pauliceia etc etc.

Bem, incontinente, liguei para o Hélio e mesmo tirando-o da cama, comuniquei-lhe os fatos e solicitei a casa, lembrando-lhe da sua oferta espontânea anterior. 


Ele aceitou na hora ajudar o casal e mediante novos telefonemas, fizemos toda a logística de tirá-los de Itapecerica da Serra e realojá-los na Vila Industrial, um subdistrito do bairro do Tatuapé, bairro da zona leste de São Paulo.

Para quem não conhece São Paulo, dou um exemplo metafórico : é como estar em Mercúrio, e querer ir à Saturno...

Bem, cerca de três horas depois desses telefonemas todos, finalmente fui receber o casal na plataforma da estação Tatuapé do Metrô. Ali encontrei-me com o Hélio, que os levou para a sua casa, tendo ainda que tomar um ônibus, no terminal acoplado à estação.

Estavam com semblantes de muito cansados e contrariados com tudo isso, e posso imaginar o quanto isso estava sendo desagradável para ambos, embora, por outro lado, nós estávamos fazendo o possível para ajudá-los nessa situação e convenhamos, não tínhamos culpa pela falta de uma estrutura de acomodação melhor...



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário