segunda-feira, 21 de julho de 2014

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 148 - Por Luiz Domingues


OK, era uma casa hostil ao nosso espectro musical, e de fato, aquela horda estava indiferente ao show, eu entendo.
 

Só que :
 

1) Eles nos convidaram e nos convenceram a aceitar a oferta, usando a conversa de que estavam abrindo o leque de atrações, visando angariar outros nichos de público. Partindo dessa premissa, eram sabedores de que o ambiente era hostil e portanto, sinalizavam apoio para que tocássemos.

Sendo assim, na prática agiram ao contrário, como se tivessem nos atraído para uma armadilha, e muito pior que nos "jogar aos leões", eles se portaram como os próprios;

2) O combinado era uma porcentagem "X" da bilheteria bruta. Não foi falado nada sobre pesquisa de última hora, com a porcentagem da banda sendo vinculada à presença de público específico de seus fãs;

3) Independente de estarmos ou não agradando o público, cortar nosso show com duas músicas e meia, de forma arbitrária, foi de uma grosseria ímpar. A ética foi se esconder no subsolo, de vergonha, depois dessa...

Nós certamente iríamos reduzir ainda mais o show, vendo esse clima hostil do público, mas tal decisão cabia à nós, em cima do palco. 


Tal atitude perpetrada por um babaca grosso e arrogante desse tipo, foi de uma indignidade atroz.

Foi certamente um dos piores, senão o pior show da Chave do Sol em sua história. Infelizmente, nossa incauta visão naquele momento, não foi capaz de antever que seria um desastre, e tudo poderia ter sido evitado com o simples cancelamento.

Bem feito para nós, e se houve um lado bom, essa humilhação e prejuízo financeiro serviu de lição doravante e entrou para  nosso rol de exemplos de como pensar dez vezes antes de se meter numa situação que claramente sinalizava um desastre. 


Saímos humilhados da casa, com um cheque nosso no bolso do Pérsio (que representava o fim da nossa esperança de gravar uma demo-tape atualizada, num curto prazo), e muito cansados, emocionalmente falando.

No alto da madrugada, depois de alojarmos o nosso equipamento na casa do Rubens, combinamos descansar no sábado & domingo, e retomarmos nossos trabalhos só na segunda-feira.

Eu só queria esquecer esse episódio, mas no sábado fui surpreendido com um telefonema totalmente inesperado...



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário