quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 5 - Por Luiz Domingues

A questão que envolvia o Marcelo Mancha, não era técnica. Ele é um excelente vocalista; com afinação; alcance de oitavas; emissão; boa dicção; bom intérprete; tem ritmo; bom ouvido; divisão rítmica bem desenvolvida, e excelente presença de palco. Tampouco era de ordem pessoal, pois ele era (é) um rapaz bacana, honesto e trabalhador. O problema detectado pelo Xando, era no tocante à criação dele na interpretação, pois em todas as canções, tinha dificuldade em criar sua própria interpretação.

Isso ocorria devido aos anos e anos em que atuava na noite cantando covers. Infelizmente, esse esquema vicia o músico que perde o traquejo da criação, limitando-se a repetir a criação alheia. Diante desse argumento, não havia como não pensar na banda, e sendo assim, dei meu aval para o Xando conversar com o Marcelo e daí, desligá-lo da banda. O Xando ficou com a incumbência de falar com ele, por ser amigo e companheiro de bandas na noite, há anos. E o Marcelo aceitou sem ressentimento, pois não estava mesmo encaixando-se no trabalho. Saiu numa boa, e prosseguiu sua carreira na noite, até hoje, com o seu brilhantismo habitual.

Então o Xando teve uma ideia, de certa forma ousada, mas que poderia dar certo. Que tal convidar Rodrigo Hid ? Ele poderia cantar, tocar teclados e eventualmente, teríamos três guitarras, unindo-se ao próprio Xando e Tadeu Dias. E o que eu poderia achar dessa ideia ?  Ora, conhecia o Rodrigo desde 1993, convidei-o para fundar o Sidharta comigo, e isso desembocara na Patrulha do Espaço.  Quem mais poderia conhecer tanto o talento dele, após tantos anos ?

Rodrigo Hid, na época mais ou menos em que veio conhecer a proposta do Xando sobre a banda. Foto de Grace Lagôa

O Rodrigo estava desanimado em fazer parte de uma banda, desde que deixara a Patrulha do Espaço junto comigo, e Marcello. E desde então, dedicava-se a ensaiar um material para um disco solo que pretendia lançar. Estava ensaiando com dois músicos jovens, ex-membros do excelente "Quarto Elétrico" : Thiago Fratuce no baixo (ex-aluno meu), e Ivan Scartezini na bateria (depois, tornar-se-ia baterista do Pedra). Ele aceitou conversar, mas em princípio relutou com a proposta. Após um pouco de insistência do Xando e minha, ele decidiu participar nessa condição inicial como vocalista, com alguma intervenção nos teclados, e talvez guitarra.
E assim, nos últimos dias de dezembro de 2004, tornamo-nos um quinteto, com a entrada de Rodrigo Hid.

Aqui num ensaio da banda já em 2005, assumindo inicialmente postura como vocalista e tecladista da banda. Foto de Grace Lagôa

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário