quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 64 - Por Luiz Domingues


Chegamos ao ponto de encontro na hora marcada, e tanto os roadies do equipamento de PA. alugado, quanto os roadies da Patrulha, trabalhavam a todo vapor, carregando o ônibus fretado pela banda.

A nossa comitiva era modesta. 


Apenas nós três músicos, e a namorada do Rubens, Mônica. 

Não tínhamos equipe técnica profissional, e nem mesmo pensamos em levar amigos para ajudar, amadoristicamente.

Estávamos eufóricos pois iríamos abrir o show da Patrulha do Espaço, que era um ícone do Rock brasileiro, e diante de uma plateia grande, com bom equipamento, tratando-se de uma grande oportunidade, sem dúvida.

E três dias depois, gravaríamos a nossa participação no programa A Fábrica do Som, o que seria algo muito importante, como o primeiro passo grande na carreira.

A viagem foi tranquila, com o pessoal da Patrulha nos deixando à vontade. 


Viajar num ônibus com todo aquele equipamento, e para abrir o show de uma banda famosa, era algo muito excitante para nós. 

Chegamos cedo ao clube "Gran São João", e já ficamos contentes por saber que havia saído uma matéria sobre o show num dos jornais de Limeira, e o nosso nome foi citado como banda de abertura do evento.

A passagem de som foi tranquila e rápida, pois a Patrulha já havia acertado tudo anteriormente, usando a praxe do soundcheck ao contrário, ou seja, quem toca primeiro passa o som por último, e deixa a mixagem toda "setada"para a abertura do evento.

Algum tempo depois que encerramos, os portões do ginásio do clube foram abertos, e um grande público lotou as suas dependências.

Quando recebemos o sinal verde para entrar no palco, o ginásio já estava praticamente lotado. 


O nosso show foi de aproximadamente 40 minutos, uma cortesia do Júnior que simpatizava conosco, pois geralmente shows de abertura não passam de 30 minutos.

Tocamos várias composições nossas, mas também tivemos de tocar alguns covers, visto que completamente desconhecidos, corríamos o risco de sermos hostilizados pelo público, que nunca tem paciência com novos artistas.

Era uma noite de inverno, mas o calor do show nos fez suar !



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário