quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Autobiografia na Música - Terra no Asfalto - Capítulo 59 - Por Luiz Domingues


Portanto, o último suspiro de vida do TNA, deu início à gestação da Chave do Sol, e a história prossegue nos capítulos dessa banda.

Antes de encerrar a história do TNA, vou recuar um pouco na cronologia para contar algumas histórias que não ficaram registradas, e que ficaram de fora anteriormente, por não haver uma cronologia fixa sobre elas.

Uma delas, era sobre a mania compulsiva que o Paulo Eugênio; Gereba, e Wilson traziam de anos de convívio juntos, e era muito engraçada. 

Isso nada tem a ver com música, devo esclarecer previamente...

Eles praticavam uma pequena transgressão quando estavam juntos numa festa particular, ou mesmo visitando a casa de alguém. 
 
Dando desculpas tolas de ir ao banheiro, ou mesmo à cozinha para beber água, atacavam a geladeira e a despensa das pessoas, mais pela molecagem em si. 

Era hilário, pois em questão de segundos, como se fossem gafanhotos famintos, comiam tudo o que podiam. 

A rapidez e a voracidade com que faziam essas molecagens tinha requintes até, pois chegaram a fritar ovo, e esquentar arroz na panela, sem que o anfitrião percebesse, pelo menos dando flagrante, pois panelas e pratos sujos os denunciavam a posteriori... 

Eu cheguei a ver isso acontecer, e ficava impressionado como enchiam as respectivas bocas, e até os questionava sobre isso poder lhes causar um sério dano, engasgando.

E fui vítima também, pois uma vez em minha casa, numa reunião da banda, o Paulo Eugênio descobriu na minha cozinha, uma torta de banana recém saída do forno, que minha mãe preparara. 

O objetivo era servir à eles mesmos, mas após diversas saídas suspeitas do Paulo Eugênio para "beber água", descobri que ele a devorara sozinho...

Eu achei até engraçada essa compulsão, mas minha mãe ficou horrorizada quando lhe contei o ocorrido...ha ha ha !!

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário