quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Autobiografia na Música - Terra no Asfalto - Capítulo 60 - Por Luiz Domingues


Uma outra história ocorreu no final de 1980, um pouco antes da reformulação da banda com a entrada do Aru.

Foi num sarau improvisado que o Paulo Eugênio inseriu não o TNA, que estava parado oficialmente naquela fase pré entrada do Aru, mas de maneira informal, fomos à um sítio nas proximidades de Cotia, na Grande São Paulo, onde o objetivo era apenas um final de semana de curtição. 

O local era de propriedade de amigos dele e assim, passamos um final de semana jogando futebol num campo oficial bem legal, e na noite do sábado, tocamos para entreter os convidados. 

Isso não era uma novidade, pois nessa entressafra da banda na segunda metade de 1980, o Paulo já havia nos levado para tocar informalmente de forma acústica em festas particulares de amigos dele.

Nessa ocasião do sítio, estávamos eu; Gereba; Wilson, e o Paulo Eugênio fez percussão e voz. 

A nota triste desse passeio foi que tive a infeliz ideia de jogar como goleiro durante o futebol vespertino, e ao fazer uma defesa, espalmando a bola e imprudentemente sem luvas, machuquei meus dedos anular e mindinho da mão esquerda.

Na hora, cheguei a pensar em tê-los fraturado, mas foi só o susto mesmo. Inchados e doendo bastante, prejudicaram bastante a minha performance na jam session do sábado à noite.

Não anotei isso como atividade oficial do TNA, pois foi muito informal mesmo. 

Apesar de ter umas trinta pessoas pelo menos assistindo e cantando etc e tal, aquilo era só uma jam informal, portanto, não computei como apresentação oficial.

Isso deve ter acontecido por volta de outubro, pois o comentário da semana era o show do Peter Frampton no Ginásio do Ibirapuera, que estava para acontecer, ou já tinha ocorrido, não me recordo direito.

E um fato curioso, o Wilson estava obcecado em tirar o solo da música "My Love", do Paul McCartney. 

Ficou a madrugada inteira repetindo incansavelmente aquele solo, ao ponto de sua namorada, Consuelo, brigar com ele, irritada com a repetição enjoativa. 

Se lembrar de mais histórias, mesmo com o capítulo encerrado, não hesitarei em reabri-lo para adendos. 

Feito isso, vou chegando ao final da história do TNA.
  

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário