sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Autobiografia na Música - Terra no Asfalto - Capítulo 48 - Por Luiz Domingues


O próximo passo para o TNA, foi tocar novamente no Casablanca. 

Desta feita, era uma festa organizada, visando angariar fundos para uma campanha de solidariedade, denominada "S.O.S. Mulher". 

Por conta disso, 603 pessoas se espremeram nas dependências da casa, e dançaram a noite inteira. 

Isso ocorreu em 8 de maio de 1981. 

Foi uma das nossas melhores apresentações, e inaugurou uma fase de participações em festas fechadas, bom sinal de que a nossa banda deixava boa impressão por onde tocava. 

No dia seguinte, e no posterior, voltamos ao Roda D'Água, com 150 pagantes no dia 9, e apenas 12, no dia 10 de maio de 1981, um domingo. 

Nessa fase, estávamos muito seguros, com bastante desenvoltura e praticamente tocando no "piloto automático", com segurança. 

Não fazíamos música autoral, mas chegamos a ter reações parecidas com artistas que saem em turnês, pois sabíamos de antemão as reações do público, aonde quer que tocássemos. 

Portanto, haviam os momentos de pico de euforia; momentos mais calmos onde os namorados se agarravam mais; hora de se envolver com a música e bater palmas...enfim, era como se fôssemos uma banda autoral nesse aspecto.

Continua...   

Nenhum comentário:

Postar um comentário