quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Autobiografia na Música - Sidharta - Capítulo 3 - Por Luiz Domingues

O Sidharta na verdade, começou na minha cabeça bem antes. 

Foi uma conjugação de vários fatores, insights, ânsia de libertação de várias amarras acumuladas, e esperança, principalmente numa surpreendente juventude que borbulhava em ideias antenadas na egrégora sessentista, que eu recebia na minha sala de aulas de baixo.

Esse sentimento que começara timidamente no finalzinho dos anos 1980, na minha mente, foi crescendo com o avançar da década de 1990, e refletiu-se no aparato que cercou o lançamento do CD Lift Off do Pitbulls on Crack. 


Evidentemente falarei sobre isso no capítulo do "P.O.C.". 

Então, nesse sentimento forte de resgatar minhas raízes sessenta-setentistas, resolvi romper com toda forma de subserviência e resignação em torno desse fio-da-meada inconvenientemente rompido, e decidi assim sair do Pitbulls, e formar uma nova banda da estaca zero, sem me importar com questões mercadológicas, estética comprometida com a tendência contemporânea, ou coisas correlatas.  

A ideia era curta e grossa: seria uma banda inspirada na estética daquelas duas décadas, aberta à todas as suas vertentes, e trazendo signos paralelos e inerentes. 
Rodrigo Hid em 1997, parecendo um gnomo que teve uma boa ideia...

Quando essa ideia amadureceu enfim, o primeiro nome que convidei foi Rodrigo Hid, jovem talento que conhecia desde o início da década, e além do talento musical enorme que já demonstrava, ele tinha uma formação cultural sólida no tocante ao apreço pelas décadas de 60/70.

Como já comentei, tinha minha insegurança apenas por ele ser muito jovem e inexperiente, mas nunca tive nenhuma apreensão em relação à sua musicalidade, pelo contrário, isso era uma grande esperança que nutria, na questão da qualidade que a banda teria. 


Ele cresceu aprendendo guitarra e violão com seu pai, e ouvindo música de qualidade, graças à uma enorme quantidade de vinis da coleção do Tufi Hid, seu pai.

Rodrigo aceitou de pronto o convite, e se mostrou animado com o projeto. Começamos a mostrar Riffs que tínhamos um ao outro, e o segundo nome foi convidado : Luciano Curvello, o Deca, guitarrista do Pitbulls On Crack.



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário