terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Autobiografia na Música - Pitbulls on Crack - Capítulo 7 - Por Luiz Domingues

Claro que engatinhávamos ainda, pois era um novo trabalho. Mas na minha ótica, foi um começo promissor e portanto, esse conceito de engatinhar é bem relativo...
Se considerarmos que em janeiro fazíamos o primeiro ensaio, e em abril já tocávamos ao vivo... eu considero um processo bem acelerado, pois montar um repertório de músicas próprias demanda tempo.

E só tocávamos duas releituras: "Ticket to Ride", dos Beatles, e "Cracked Actor", do David Bowie. Para o Pitbulls on Crack, em apenas seis meses, tocar para dez mil pessoas, foi algo espetacular.
Tudo é uma questão de proporcionalidade. Esse engatinhar tinha outra dimensão em relação ao começo do Boca de Céu, por exemplo.

E sendo sincero, acho que pelo fato de eu e o Chris já termos tido uma exposição midiática por conta de outros trabalhos anteriores, facilitou muito, mas sem dúvida que os contatos que o baterista Juan Pastor tinha dentro da Rádio 89 FM, foram os fatores preponderantes para a alavancada do Pitbulls on Crack. Como já mencionei, ele era estagiário dessa emissora logo no início da banda, mas foi crescendo rápido na instituição, e em poucos meses tornou-se locutor; redator de textos, e figura chave entre os programadores. Já naquela época, tornar-se-ia assessor do Tatola, o principal locutor da casa, além de ficar muito amigo do Fábio Massari, outro locutor, que por sua vez, apresentou-o ao Gastão Moreira da MTV etc etc. De contato em contato, portas foram abrindo-se bem rapidamente.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário