sábado, 28 de dezembro de 2013

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 2 - Por Luiz Domingues


Sim, a hipótese da música própria que citei anteriormente (a parceria entre Xando Zupo & Patrulha do Espaço), ser regravada pelo Pedra, foi ventilada logo no começo, mas chegamos à conclusão de que o material novo que estava sendo composto, deveria predominar.

Mais tarde, por ocasião das gravações do Pedra II, foi lembrada de novo, mas o repertório já estava praticamente definido. 


A música "Livre como você" é muito boa, mas particularmente, eu acho que música gravada não deve ser regravada. 

Ela já está lá naquele contexto de 2003, e não vejo o porque colocá-la em outro. 

A música "Trampolim" do disco "Missão na Área 13" da Patrulha, foi sugerida várias vezes como opção de regravação pelo Rodrigo, seu autor. Mas eu sempre votei contra, exatamente seguindo a mesma linha de raciocínio.

Então, poucos dias após ter me desligado oficialmente da Patrulha do Espaço (comuniquei a minha decisão ao Júnior em 6 de setembro de 2004), ficou acertado que ainda faria um último show marcado em outubro (em São Carlos, no interior de São Paulo, no diretório acadêmico do campus da USP, naquela cidade).


E cerca de duas semanas depois desse comunicado, recebi o telefonema do guitarrista Xando Zupo, convidando-me para um novo projeto que estava iniciando. 

E antes que eu formulasse algum juízo de valor, já me disse que seria algo aberto à várias tendências, e não fechado no Hard-Rock.

Disse-me que já tinha cinco ou seis músicas na manga, e um guitarrista além dele; baterista; vocalista, e se eu entrasse no time, ainda pensavam na hipótese de colocar um tecladista. 


Apesar de estar cansado e descrente na música, após tantos dissabores e também pelo somatório da carreira, além dos 44 anos de idade pesando sobre os ombros, fiquei contente com a lembrança dele em me ligar e convidar, e resolvi ir, para conhecer melhor o projeto.
 

Ele já estava ensaiando há uns dois ou três meses, e sua escolha inicial para o baixo, houvera sido o Fabio Mulan, com quem tocava há anos na noite paulistana, em trabalhos cover.
 

Mas o Fabio acabou não ficando, e daí sabendo através do Marcello Schevano, que a Patrulha estava se dissolvendo, arriscou me abordar. 
Foto promocional do Big Balls, de 1996. Alex Soares é o primeiro à direita, com as mãos na cabeça.

O baterista era o Alex Soares.

Muito bom músico, e companheiro na banda autoral que tiveram em 1996, o Big Balls.
                              O ótimo vocalista, Marcelo "Mancha" 
                


Marcelo "Mancha", era o vocalista. 

Cantor versátil e experiente também da noite, tocou covers com o Xando por anos. 

Ele cantou em várias faixas do disco solo do Xando, Z-Sides, inclusive na versão de "Must Be Love", canção do James Gang, que a Patrulha atuou tocando.

                     O excelente guitarrista, Tadeu Dias

E na guitarra, Tadeu Dias, experiente side-man do Simoninha, e vários outros artistas desse ambiente da gravadora "Trama".
 

Um bom time, sem dúvida, e capaz de fazer um som de nível excelente. Isso me animou, além do fato de não estar fechado na ideia de ser só Hard-Rock.
 

Os ensaios começaram a partir de outubro.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário