segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Autobiografia na Música - Pedra - Capítulo 1 - Por Luiz Domingues

Eu estava esgotado no ano de 2004, pois a somatória da carreira, já longa, gerou um pequeno stress para o meu corpo e mente. Pensava seriamente em encerrar a carreira, sentindo-me sem forças para prosseguir. Nesse contexto, logo que comuniquei ao Júnior a minha decisão de sair da Patrulha do Espaço, recebi um inesperado telefonema alguns dias depois, do guitarrista Xando Zupo, convidando-me a conhecer seu novo trabalho, e se gostasse, integrá-lo. Conhecia o Xando desde 1984, mas de uma forma superficial, pois apenas cumprimentávamo-nos em bastidores de shows nesses anos todos.Mas só fui tocar com ele, quando em 2002, ele foi convidado pelo Júnior, a tocar duas músicas com a Patrulha do Espaço no Centro Cultural São Paulo, e em 2003, aí sim, foi quando tivemos um contato maior.

Isso porque ele estava gravando um disco solo, e convidou a Patrulha a participar em duas faixas. Então, entre ensaios e gravações, pudemos ter um convívio um pouco melhor. Nesse disco, que acabou sendo lançado só pela internet, e não foi prensado, a Patrulha do Espaço tocou um cover com ele ("Must Be Love" do James Gang - LP "Bang", de 1973); e uma própria, composta num ensaio, selando a parceria entre Xando e Patrulha, chamada "Livre como Você". Essa música, é um belo Hard-Rock, com fortes pitadas de Southern-Rock, onde o Xando e o Marcello fazem um ótimo trabalho de guitarras, e o Rodrigo pilotou o órgão Hammond, e cantou. Tal canção acabou ganhando uma dramaticidade muito grande, pois a mãe do Xando faleceu repentina e precocemente, de uma forma chocante, pois era muito jovem, cheia de vida e muito querida por vários músicos do meio Rocker de São Paulo, visto que era envolvida com publicidade e produção de shows, portanto conhecia muita gente do meio artístico. Inclusive tendo produzido shows de Hermeto Paschoal e Sivuca nos anos oitenta. Para homenageá-la, Xando acabou criando uma nova letra, não prevista nos ensaios, e acrescentou uma pequena participação dela dizendo algumas palavras ao final da canção, graças a uma fita K7 que ele tinha engavetada, desde os anos setenta, com tal locução espontânea de sua mãe.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário