segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Autobiografia na Música - Patrulha do Espaço - Capítulo 1 - Por Luiz Domingues


Para falar da Patrulha do Espaço, seria preciso recuar no tempo e falar do final de 1997, quando deixei o Pitbulls On Crack, e criei com Rodrigo Hid, o Sidharta. 

Não acabou se tornando uma banda isoladamente, mas foi um período da minha vida que relembro com muito carinho, pois foi uma fase de extrema euforia, criatividade, e o desabrochar de dois jovens talentos (Marcello Schevano e Rodrigo Hid), além de proporcionar meu reencontro com José Luis Dinola, com quem não tocava desde 1987. 

Então, posto isso, o Sidharta foi o embrião da volta da Patrulha do Espaço. 

Toda a história do Sidharta é contada no seu capítulo específico, portanto, por aqui vamos resumir o preâmbulo.

Em fevereiro de 1999, o Zé Luis decidiu não ficar mais na banda, sentindo-se descontente com o direcionamento que o Sidharta tinha ao fazer som retrô, radical e propositalmente anos 60/70. 


Especifico essa história naquele capítulo, é lógico.

Por isso, pensamos em recrutar um novo baterista que se encaixasse nessa mentalidade em 100%. 


Pensamos em alguns bateristas, e surgiu a ideia de Rolando Castello Júnior, baterista da Patrulha do Espaço.

Como a Patrulha como banda só fazia shows sazonais e com formações improvisadas há anos, e desde os anos 1980 não lançava um álbum de inéditas ( o LP Primus Inter Pares, de 1992 era praticamente um disco de regravações e uma ou duas músicas novas), comecei a sondar o paradeiro do Júnior, para fazer-lhe essa proposta do Sidharta. 


E finalmente o achei, pois estava voltando para São Paulo após ter morado por alguns anos em Curitiba. 

Feito o contato telefônico, convidei-o para uma Jam-Session no estúdio onde o Sidharta estava ensaiando, no bairro da Aclimação, na zona sul de São Paulo, onde eu e o Rodrigo morávamos.

Essa estratégia foi uma armadilha, um ardil que criamos. 


Sabíamos que ele talvez recusasse uma oferta direta de entrar numa banda "zerada", e com dois integrantes tão jovens e inexperientes como eram Rodrigo e Marcello, naquele ano de 1999.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário