segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 37 - Por Luiz Domingues


3) Sobre os bastidores:

Conforme já descrevi, o Victoria era uma casa labiríntica. 


A fachada não dava ideia do quanto era grande, e com tantos emaranhados de ambientes; câmaras secretas; saídas inusitadas para outros ambientes etc. 

A decoração era riquíssima em detalhes, e era um luxo naquele começo de anos oitenta, já ter um serviço de TV interna, com monitores em todos os ambientes, e passando filmes de Sci Fi recém lançados como Tron, e Blade Runner, por exemplo.

O ambiente era burguês, mas apesar de ser dispare, não havia nenhuma hostilidade por parte do público de playboys. 


Pelo contrário, mesmo não sendo rockers, bastava qualquer uma das três bandas fixas começar a tocar, e eles dançavam, gritavam e aplaudiam. 

Na verdade, queriam se divertir; beber; se drogar, e arrumar garotas.

Muita gente do meio musical circulava ali. Lembro-me do Peninha Schimdt, Kid Vinil, e outras figuras. 


Uma vez, um sujeito cujo nome não me recordo, "alugou-nos", eu e Rubens, por uns vinte longos minutos...

Com cabelo cor de laranja e corte de cabelo escroto, bem New Wave, nos abordou dizendo ser produtor musical. 

Queria que o procurássemos no decorrer da semana, para levar nosso material, pois (supostamente), dizia que esteve envolvido na produção dos shows do Van Halen, que viera recentemente ao Brasil, e aventava a possibilidade de nos colocar para "abrir" o Kiss, que segundo ele, viria em junho.

Nos deu várias palhetas customizadas do Van Halen, e seu cartão. 


Não era empresário, devia ser um "aspone", mas ficava circulando por aí botando banca de. 

Só fez uma observação : teríamos que cortar os cabelos à New Wave, e repaginar o figurino. 

Pensando bem, ele não estava errado. 

Éramos anacrônicos em 1983, principalmente eu e o Rubens, com visual de Rockers setentistas. O rapaz falou em cada um ter o cabelo de uma cor diferente, e usar aquele visual de Duran Duran...

Se fosse algo realmente concreto ao menos...mas sair por aí se "modernizando" à toa, seria uma estupidez, principalmente pelo fato do principal quesito, ser incompatível com esse visual escroto : teríamos que mudar o som também...



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário