segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Autobiografia na Música - A Chave do Sol - Capítulo 19 - Por Luiz Domingues

E nessa mini temporada no Devil's, estreamos numa quinta, dia 2 de dezembro de 1982. 

Como já disse anteriormente, nos dois primeiros dias, o público foi pequeno. Mas à medida que o boca-a-boca correu na Rua 13 de maio, o público foi aumentando.

Já no dia 4 de dezembro de 1982, tivemos 100 pagantes. Nessa altura, o entusiasmo com a banda e as loucuras da Verônica, chamavam a atenção.
 

No dia seguinte, público de 30 pagantes, mas o domingo era tradicionalmente vazio na rua e assim, consideramos também um bom público.

E o que ocorria ? 


A Verônica não tinha muita segurança em subir ao palco e para criar aquela coragem extra, bebia. E quando bebia, sua voz não era prejudicada na execução das músicas, mas sua coordenação motora e sobretudo suas intervenções entre as músicas conversando com o público, eram hilárias.

Em meio ao seu imprevisível arsenal de loucuras improvisadas, me lembro de tê-la visto cacarejando e imitando uma galinha. Imagine a reação do público vendo algo assim... 


Noutra ocasião, empolgou-se e disse que queria "ficar" com todos os homens presentes. Nesse momento, vários saíram correndo de suas mesas para se aproximar do palco e um chegou a tentar escalar para alcançar o palco no afã de tocar-lhe a perna. Ainda bem que o palco era bem alto, com mais de dois metros de altura e um amigo nosso, chamado Wagner "Sabbath", estava por perto e conteve a euforia do tarado.

Mas me lembro do Rubens puxando a próxima música mais rápido, para tentar acalmar os ânimos.

Isso chamava a atenção para a banda, mas era algo que não desejávamos, pois o objetivo não era se aproveitar disso para alavancar a banda.

Outro aspecto do "Devil's", era a sua precariedade e falta de higiene, conforme já disse anteriormente. 


Lembro-me de uma outra vez, ocorrer uma gritaria que começou entre o público. 

Pensamos ser uma briga, mas era uma garota que estava apavorada, e que subiu na mesa para fugir de um rato, enquanto seu namorado tentava caçá-lo entre as mesas. O tumulto se generalizou, pois outras mulheres seguiram o gesto, e rapazes corriam atrás do roedor.


Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário