domingo, 22 de setembro de 2013

Autobiografia na Música - Língua de Trapo - Capítulo 45 - Por Luiz Domingues

A seguir, todos saiam do palco, e só ficavam o Lizoel Costa e o João Lucas. 

Ambos estavam acostumados a satirizar duplas sertanejas, não esses bregalhões da Era pós-governo Collor, mas as duplas de raiz, tipo Tonico & Tinoco, e similares.

Então, eles contavam algumas piadas carregando no sotaque, e com o Lizoel ao violão, e o João Lucas no acordeom, tocavam a música "Toada da Subcultura".

O grande impacto, era que toda aquela estética caipira era usada para falar de política engajada, e se tornava hilário abordar o tema sob essa estética prosaica. 
Um truque usado toda noite e que funcionava muito bem, era protagonizado pelo ator Paulo Elias. Ele saía do camarim pelo jeito que fosse possível em cada local, para não ser visto pela plateia, e usando roupas comuns, se infiltrava na plateia, como se fosse um espectador que chegara atrasado.

No meio de uma piada contada pelos "caipiras" Lizoel e João, o Paulinho dava um berro : "Essa piada é velha !!"

Imediatamente o João Lucas retrucava ao microfone : "A sua mãe também é velha, mas não é todo mundo que conhece !!". 

O teatro vinha abaixo, numa reação esperada por todos nós, e isso era a deixa para a música começar. 

Quanto ao Paulinho, ele nem esperava pela resposta do João Lucas, pois sua função no sketch estava cumprida. Dessa forma, voltava imediatamente ao camarim, onde se preparava para novos números. 

O número dos dois era muito bom, e arrancava muitas risadas do público. E também era estratégico para dar um respiro para o restante da banda.

A música era de autoria do Carlos Melo e do Lizoel Costa. Essa era uma das raras antigas que foram executadas no show de estreia, realizado no TUCA, em 15 de novembro de 1983.



Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário