quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Autobiografia na Música - Trabalhos Avulsos (Projeto Rock'n Roll) - Capítulo 61 - Por Luiz Domingues

Apesar do Luiz Fernando ser um gentleman, e me ajudar incondicionalmente com caronas, muitas vezes indo me buscar no outro ensaio, que não tinha nada a ver com o trabalho dele, e levando-me até a minha casa, ao término dos nossos ensaios, uma coisa me incomodava, e passou a virar fator decisivo para eu sair do projeto, algum tempo depois : os arranjos das músicas mudavam radicalmente, e se há uma coisa que eu detesto, é volubilidade.

Como o trabalho era dele e não fruto de um trabalho em grupo, eu tinha uma óbvia tolerância mais elástica à essa característica, que julgo abominável.
Contudo, quando esse processo passou a ser uma constante, o trabalho certamente passou a ser muito prejudicado, pois trabalhávamos num arranjo e quando a música começava a ficar firme, e portanto próxima da condição de ser gravada em estúdio, ele propunha no ensaio subsequente, mudanças radicais, praticamente jogando todo o trabalho fora, com a proposta de se começar tudo da estaca zero. 

Imagine isso multiplicado por 15, talvez 20 músicas, não me lembro ao certo, e daí dá para imaginar o processo de irritabilidade que gerava para os músicos que estavam ali envolvidos.
E não havia como se estressar com ele, pois em primeiro lugar, ele era o dono do trabalho, e portanto tinha o direito de dar a palavra final sobre as composições, e em segundo lugar, era tão educado e gentil, que não havia como se irritar com ele. 

Mas claro, esse processo foi fritando o trabalho, e depois que eu saí, e vi que o disco só ficou pronto em 1994, ou seja, quatro anos depois, pude entender um pouco o porque dessa demora.
Mas antes que eu comunicasse a minha saída oficial do trabalho, ainda teve um episódio que gerou uma história, que hoje acho engraçado, mas na época, aborreceu-me. 

Não foi culpa do Luiz Fernando, de forma alguma, mas acabei sendo vítima de uma espécie de "bullying" musical, dentro de um estúdio de gravação.


Continua... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário