domingo, 18 de agosto de 2013

Autobiografia na Música - Trabalhos avulsos (Tributo à Janis Joplin - Laert Sarrumor & amigos) - Capítulo 69 - Por Luiz Domingues

Passaram-se muitos anos em que fiquei sem atividades avulsas. 

Firme com o Pitbulls on Crack, desde o início de 1992, meu último trabalho avulso fora uma apresentação da banda tributo ao Black Sabbath, "Electric Funeral", em julho de 1992, no Aeroanta em São Paulo. 

Então, logo no início de 1996, recebi o telefonema do Laert Sarrumor, que convidou-me a participar de um show tributo à Janis Joplin, que ele estava organizando, e que seria realizado no mesmo Aeroanta, citado acima.

Com o Pitbulls em ritmo de gravações do primeiro CD, e poucos shows em vista, topei pela diversão, e oportunidade de rever amigos, principalmente o Laert que eu via pouco, e cuja última vez que estivemos num palco juntos, fora em julho de 1984, quando me despedi do Língua de Trapo, pela última vez, encerrando minha participação, em minha segunda e derradeira passagem pela banda. 

Então combinamos um encontro, onde ele me deu a lista do repertório que pretendia tocar.
Fiquei surpreso, pois haviam diversas canções, incluso o blues "Amor à Vista", pérola do repertório do Língua, por ocasião de minha segunda passagem pela banda entre 1983/1984. 

Mas (pasmem !!), só havia uma canção da Janis Joplin inclusa nesse set list (pasmem, novamente !!), e era um tema instrumental !!! 

A grande jogada irônica desse tributo, era que homenagearíamos Janis Joplin, tocando um repertório de Blues autorais e só uma música era do repertório dela, e instrumental !! 
Tratava-se da canção : "Buried Alive In Blues", que está no LP "Pearl". Ela ficou sem vocal, pois a Janis faleceu antes de gravar sua voz, e o produtor bancou a colocação do tema, como uma homenagem à banda, e assim ficou no LP "Pearl". 

Mas nesse tributo, tornou-se uma ironia incrível tocar só esse tema do repertório dela, justamente uma canção instrumental, em meio à uma artista que notabilizou-se pela voz... 

Marcamos só um ensaio, super improvisado na minha casa, só para tirar dúvidas de harmonia e mapa das músicas. 

Foi super corrido, e num dia de semana à noite na minha sala de aulas.

A banda seria composta por Laert Sarrumor no vocal; Gilberto "Giba San" na guitarra, e Zé Miletto no teclado, além de mim no baixo, e o baterista Nahame Casseb, popular Naminha, outro velho companheiro do Língua 83/84, que eu não via há anos. 
Mas o Naminha não foi ensaiar, pois ainda não havia chegado de viagem. Ele morava em Tóquio há muitos anos, e estava chegando para visitar parentes e amigos, indo direto para o show, sabendo das músicas só por tê-las ouvido no Japão.

Foi um ensaio divertido, com o prazer de estar com o Laert novamente, após tantos anos. 

O Zé Miletto também era gente boa, embora eu não tivesse intimidade alguma com ele, e o Giba "San" eu conhecia vagamente , pois é figura carimbada no mundo das bandas cover da noite paulistana.

Trata-se de um excelente guitarrista, muito requisitado como side man de vários artistas, e com participações em bandas cover. 

Sendo assim, com um ensaio apenas, fomos para o show, que prometia ser bastante divertido.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário