quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Autobiografia na Música - Trabalhos Avulsos (Projeto Rock'n Roll) - Capítulo 59 - Por Luiz Domingues

Conforme já disse anteriormente, no meio de 1990, recebi várias propostas de trabalho, e algumas, simultaneamente. 

Eu estava envolvido com a banda Hard-Rock do Flavio Gutok (Lynx), e a "Pinha's Band", quando surgiu mais um convite interessante. 

Não era exatamente para integrar uma banda, mas sim gravar um disco de um guitarrista, que não era profissional, mas tocava bem, e oferecia uma infraestrutura. 

O nome dele era Luiz Fernando, e era conhecido por ter uma das melhores lojas de discos da Galeria do Rock, aqui em São Paulo.

Como quase todo dono de loja especializada, pelo menos naquela época, tinha um conhecimento enciclopédico sobre o Rock. 

E apesar de ser bem sucedido com sua loja, acalentava um sonho pessoal de gravar um disco, mesmo assumidamente diletante, sem jamais cogitar mergulhar no mundo artístico à sério.
Ele estava associado ao baterista Paulo Thomaz, ex-Centúrias, e naquela época tocando na banda, "Firebox". 

Os ensaios ocorriam no estúdio do Paulo, localizado em sua casa, no bairro de Moema, zona sul de São Paulo. 

O plano era ensaiar umas quinze músicas, e quando estivessem prontas, colocar-nos num estúdio e após o lançamento, fazer um show, com possibilidade de outros, mas contratando-nos como músicos side man. 

O nome do projeto era "Projeto Rock'n' Roll". 

O trabalho consistia em diversos Rocks quadrados, com estrutura básica cinquentista, alguns blues e baladas, além de algumas canções mais pesadas, Hard-Rock setentistas. 

Eram boas as composições e ele tocava legal, harmonizando e fazendo bons solos. Lembro-me que tinha algumas guitarras, e a que se destacava, era uma Gibson Les Paul branca, que eu nunca tinha visto ninguém usar pessoalmente, e só me lembrava do Mick Ronson, guitarrista do David Bowie no auge da sua fase glitter.


Aliás, o próprio Luiz Fernando foi logo falando quando me viu de olhos arregalados vendo aquela guitarra linda : " Igual à do Ronson...comprei em Nova York..." 

Em princípio, o plano era gravar em trio, mas ao longo dos ensaios, o Luiz foi falando em outros convidados etc e tal.

Nessa fase, entrei numa agenda maluca, pulando de um ensaio à outro e devo reconhecer que o Luis foi muito gentil, muitas vezes me cedendo caronas, visto que eu só compraria o meu primeiro carro em 1991, e de condução, era dureza cumprir horários com as três bandas.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário