sábado, 31 de agosto de 2013

Autobiografia na Música - Pitbulls on Crack - Capítulo 3 - Por Luiz Domingues

Eu acho que se a língua oficial deste país é o português, não há justificativa para se cantar em inglês, a não ser que um artista tenha planos de carreira internacional.
 
A ideia inicial do Pitbulls era um lugar ao sol na cena nacional, portanto, na minha avaliação, deveria cantar em português.

Mas as composições eram do Chris, e ele sempre escreveu em inglês, pois fala fluentemente, morou em Londres por muitos anos, e tocou numa banda famosa da cena punk de lá, o Cock Sparrer.
Chris Skepis fala com sotaque britânico, cockney, e alega que escrever letras em inglês, é muito mais fácil do que português.

Outro dado da época, é que no início dos anos noventa, havia uma cena, principalmente em São Paulo, de bandas cantando em inglês, e fortemente influenciadas pelo Grunge de Seattle. O Pitbulls no seu início, fez inúmeros shows com bandas dessas características.

O fenômeno "Raimundos" foi algo fora desse contexto, e atropelou essa cena de bandas cantando em inglês. 

Prefiro falar desses caras mais para frente, pois tenho histórias tristes com eles, infelizmente. Fora a estética deles, que considero um lixo.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário