sábado, 6 de julho de 2013

Autobiografia na Música - Terra no Asfalto - Capítulo 27 - Por Luiz Domingues


Lembro-me de ter assistido a peça Calabar, no Teatro Pedro II, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo.

Fui com o Paulo Eugênio; Wilson e Gereba, e lá encontramos o Roatã Duprat, e a Virgínia, namorada do Mu.

http://homenagemaomalandro.blogspot.com/2009/06/peca-calabar.html

Nesse link acima, a ficha técnica dessa montagem, com o nome do Mu, citado.

Era um espetáculo denso, bem produzido e recheado de atores famosos.

O Mu tocava violão, guitarra e bandolim muito bem, obviamente, e a banda era de alto nível, claro.
O Mu é o primeiro, da direita para a esquerda, na parte mais alta, usando um paletó

Infelizmente, soubemos que o Mu foi demitido pouco tempo depois por motivos desagradáveis. Fomos informados que costumava chegar atrasado nas apresentações, além de apresentar sinais de embriagues.

Soubemos também, que ficou insustentável a situação dele, e infelizmente ele foi demitido daquela que poderia ter sido a sua grande porta aberta para voos maiores na carreira.

Como instrumentista, seu talento e preparo eram inquestionáveis, mas no quesito profissionalismo, infelizmente ele não se adequou à uma situação de alto nível.

Depois de sua saída do Terra no Asfalto, e dessa vez que fui ao teatro vê-lo atuar em Calabar, só fui vê-lo novamente em 1982, por acaso, quando apareceu de surpresa no bar Deixa Falar, onde A Chave do Sol ensaiava em seus primeiros momentos.

Foi uma visita curta e inesperada, visto que ele procurava a Dona Sabine, dona da casa, provavelmente para tentar agendar uma data para uma banda cover em que estivesse atuando.

E depois, no início de 1984, o vi atuando numa banda autoral de Prog Rock, pela TV, se apresentando no programa "A Fábrica do Som". Lembro-me que o tecladista era o Fernando "The Crow" Costa, futuro guitarrista do Inox.

Mas que eu saiba, essa banda não avançou. 

Também pudera...Rock Progressivo em 1984, era lutar contra a maré daquele momento, e quase uma afronta.

Soube também que ele fora assaltado na saída de um bar no Brooklin, zona de sul de São Paulo, e agredido, ficou desmaiado. 

Quando foi socorrido, sua Gibson Les Paul Junior ano 1958, havia desaparecido. Hoje em dia, ela estaria valendo ainda mais que naquela época.

E muitos anos depois, soube que ele fora assassinado numa padaria, no Brooklin, bairro da zona sul de São Paulo.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário