sexta-feira, 19 de abril de 2013

O País da Incomunicabilidade - Por Marcelino Rodriguez

Não existe no país comunicação e amizade entre os artistas.

Só entre os “bem sucedidos da mídia”. Um verdadeiro pacto de Leões.

Aqueles que estão em busca de apoio ou reconhecimento ficam a deriva e exposto ás feras. E os leões são amigos apenas por conveniência.

Bem vindo, portanto, ao inferno da incomunicabilidade.

Ninguém no Brasil, sem o rótulo do sucesso, enxerga o valor do outro. Corremos o risco de ficar anônimos tomando aulas dos semi-analfabetos com hipossuficência cultural.

Vou dar dois exemplos de como funciona isso na prática e poderia dar centenas. Apenas dois bastam para entender o fenômeno.


Peço a uma autora que escreva uma apresentação para meu livro “O Tigre De Deus Em Seu Jardim”. Pergunto se posso enviar o manuscrito.

--  Qual a editora?

-- Digo a editora semi-independente.

-- Me diga o site?

-- A editora não tem site.

-- Manda para a caixa postal.

--- Mas o livro está esgotado. Não tenho mais exemplares.

--- Diga que é para mim, que eles arrumam.

Inútil dizer que não havia mais exemplares e que não tinha como enviar o livro impresso, só o arquivo, em PDF.

Não fizemos bom negócio. Os Leões querem livros grátis, sem pagar nem o correio.


Outra situação:

O cineasta famoso que me conhece, passa por mim, mesmo sabendo que sou escritor e me ignora, dando um sorriso falso para manter distancia.

Eu que tinha milhares de poemas e idéias para despejar na cabeça dele fico decepcionado, sentindo-me um rato de esgoto porque ele não me concede nem seu amor nem sua atenção;   Ele não é um patriota, penso, enquanto vou fazendo um vodu no meu coração com a imagem dele.

Desconfio que nunca vou encontrá-lo no paraíso. Aliás, me ilumino quando penso que o paraíso deve ser bem pouco habitado e cheio de focas e cães. Poucos lugares na terra devem ser tão vazios quanto o paraíso. Imagino que lá de quilômetros em quilômetros encontramos  Madre Terezas, Ghandis, Jorges Luis Borges e outros da mesma linhagem.
Existe uma temperatura de um a dez da mídia. Estou ,acredito, num incomodo 5,5 e com crise existencial pensando se não é melhor ficar sem mídia e virar monge, para não ter que relacionar-me com subletrados e idiotas da subjetividade.

Para mim e para o Dalai-Lama, todos os seres são iguais em essência, tanto o rei do mundo quanto o verme são mortais e miseráveis e merecem nossa compaixão.

O Brasil me transformou num grande estóico, termo que tenho certeza aqueles que me ignoram não sabem o que significa.



TRECHO DE "EDUCAÇÃO PARA BRASILEIROS", livro inédito e ainda não finalizado pelo autor.


Marcelino Rodriguez é colunista fixo do Blog Luiz Domingues 2. Escritor de vasta e consagrada obra, aqui nos apresenta de forma inédita, um trecho de seu próximo livro, "Educação para Brasileiros", onde desmascara a hipocrisia no mundo editorial nacional, e também na relação entre artistas consagrados e os ditos "emergentes".

Nenhum comentário:

Postar um comentário